sicnot

Perfil

Mundo

Japão permite regresso a casa de mais de 10 mil desalojados em 2011 em Fukushima

O Governo do Japão levantou hoje a ordem de evacuação de duas áreas da província de Fukushima afetadas pelo acidente nuclear de 2011, o que permitirá o regresso a casa de mais de dez mil pessoas.

reuters

Estas duas zonas, onde há 3.487 casas e 10.807 residentes registados, fazem parte do município de Minamisoma, cujo centro urbano etsá a cerca de 25 quilómetros da central de Fukushima, onde em 2011 ocorreu o segundo maior acidente nuclear da história, a seguir a Chernóbil, em 1986.

Apesar da decisão hoje anunciada, e tal como já aconteceu noutros casos, os moradores mostram-se reticentes em regressar às casas onde viviam em 2011.

Sondagens revelam que entre 30 e 50 por cento das famílias que foram desalojadas na sequência do acidente nuclear têm dúvidas sobre o regresso a casa, por medo aos efeitos da radiação. Muitas famílias reconstruíram completamente as suas vidas noutras localidades.

Oito municípios da província de Fukushima continuam a ter zonas de evacuação classificadas em três categorias.

O Governo japonês espera que até março de 2017 sejam levantadas as ordens de evacuação das zonas classificadas na primeira e segunda categorias.

No caso das áreas incluídas na terceira categoria, os níveis de radiação são demasiado altos para permitir que sejam de novo habitadas a médio prazo.

O acidente de Fukushima foi provocado pelo sismo seguido de tsunami de 11 de março de 2011.

Milhares de pessoas continuam impedidas de regressar às casas onde viviam e que tiveram de abandonar por causa do acidente.

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • "Juntos por Todos" hoje no palco em Lisboa
  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.