sicnot

Perfil

Mundo

Medicação baixa risco de transmissão do VIH em casais sorodiscordantes

Um estudo publicado hoje na revista médica JAMA indica que terapia antirretroviral baixa consideravelmente o risco de transmissão do VIH em casais sorodiscordantes (casais em que um parceiro tem o vírus e outro não).

REUTERS

Este estudo foi o maior a examinar a questão do risco de transmissão do VIH em casais sorodiscordantes, que tenham relações sexuais desprotegidas, quando o parceiro infetado está a suprimir a carga viral do VIH, com medicação.

A investigação envolveu 900 casais, sendo que a dois terços da amostra correspondem casais homossexuais.

Depois de cerca de um ano e meio o estudo não produziu nenhum caso em que a pessoa infetada com VIH, a tomar medicação para controlar o vírus, tenha infetado o parceiro.

No entanto, o estudo revelou 11 casos em que a pessoa que não estava infetada, ao iniciar o estudo, acabou por contrair o vírus que causa a SIDA.

Os investigadores afirmaram que oito dos participantes, que terminaram o estudo infetados com VIH, admitiram que tiveram relações sexuais desprotegidas fora da relação.

Em nenhum dos casos a infeção, da pessoa recentemente infetada, foi molecularmente compatível com a do parceiro, ou seja, a taxa de transmissão entre os membros dos casais participantes foi zero.

"Ainda que estes resultados não possam dar uma resposta para a questão de partida, este estudo fornece dados informativos nos quais os casais podem basear a sua aceitação do risco", explicitou o estudo, conduzido por Alison Rodgar da Universidade de Londres.

O editorial da revista JAMA, escrito por Eric Daar e Katya Corado do Harbor-UCLA Medical Center, acautelou que os casais não devem assumir que o estudo reivindica que o risco de transmissão é zero.

"Para os indivíduos que querem ter relações sexuais desprotegidas, rotineiras ou periódicas, os médicos indicam que o risco de transmissão de VIH é pequeno, assumindo que o parceiro infetado esteja em contínuo tratamento de supressão viral", afirmaram.

A pessoa infetada com o vírus necessita cumprir a terapia antirretroviral durante pelo menos seis meses antes de o casal ter relações sexuais desprotegidas.

Daar e Corado acrescentaram ainda que é necessário "conduzir mais investigações, com amostras maiores e um período de acompanhamento maior".

Este estudo foi realizado entre 2010 e 2014 em cerca de 75 clínicas espalhadas em países europeus.

Lusa

  • Dijsselbloem mostra algum arrependimento mas recusa demitir-se
    2:40

    Mundo

    Jeroen Dijsselbloem diz que cabe ao Governo português avançar com o nome de Centeno para a presidência do Eurogrupo, mas escusa-se a comentar essa possibilidade. Para já, o holandês não se demite do cargo. Esta quinta-feira ouviu as críticas dos eurodeputados no Parlamento Europeu.

  • Há cada vez menos portugueses

    País

    A população em Portugal diminuiu no ano passado, pelo oitavo ano consecutivo, já que o número de mortes continua a ser superior ao de nascimentos, revelam dados hoje divulgados pelo INE.

  • Será que lavar em lavandarias self-service compensa?
    8:21
  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Primeira dama chinesa defende avanços na igualdade

    Mundo

    A primeira dama chinesa, Peng Liyuan, defendeu os avanços da China em matéria de igualdade dos géneros. Uma rara entrevista, difundida numa altura em que feministas chinesas asseguram serem controladas pela polícia face às suas campanhas.