sicnot

Perfil

Mundo

Tribunal internacional decide contra China nas disputas no Mar do Sul

Um tribunal internacional decidiu hoje a favor das Filipinas e contra a China no caso das disputas territoriais no Mar do Sul da China, apesar de Pequim insistir que não aceita a mediação de terceiros.

Reuters

"O tribunal concluiu que não existe uma base legal para a China reclamar direitos históricos dentro da 'linha de nove traços'", disse em comunicado o Tribunal Permanente de Arbitragem (TPA), com sede em Haia.

Pequim reivindica a soberania sobre quase todo o Mar do Sul da China, com base numa linha que surge nos mapas chineses desde 1940, e tem investido em grandes operações nesta zona, transformando recifes de corais em portos, pistas de aterragem e em outras infraestruturas.

Vietname, Filipinas, Malásia e Taiwan também reivindicam uma parte desta zona, o que tem alimentado intensos diferendos territoriais com a China.

Em 2013, Manila levou o caso ao tribunal internacional, após 17 anos de negociações terem esgotado todas as vias políticas e diplomáticas.

Nos últimos meses, Pequim lançou uma campanha para desacreditar o TPA e rejeitou participar do julgamento.

O jornal oficial China Daily cobriu hoje a sua primeira página com uma fotografia da Ilha Woody, no arquipélago das Paracels, acompanhada do título "Arbitragem inválida".

Já a agência oficial chinesa Xinhua publicou vários artigos, com títulos como "A arbitragem no Mar do Sul da China viola a lei internacional: académico chinês", "O TPA deve evitar ser usado para propósitos políticos" e "O mar onde os pescadores chineses vivem e morrem".

As Filipinas aplaudiram, entretanto, a decisão do tribunal, que consideraram uma "contribuição importante para os esforços continuados para lidar com as disputas no Mar do Sul da China".

Pequim reafirmou hoje que "não aceita e não reconhece" a decisão.

"A soberania territorial da China e os seus direitos e interesses no Mar do Sul da China não devem ser afetados por decisões arbitrárias", afirmou em comunicado o ministério chinês dos Negócios Estrangeiros.

O caso levou também Pequim a procurar apoio diplomático e, na segunda-feira, um porta-voz chinês afirmou que, entre os países que suportam a posição chinesa, estão Angola, Madagáscar e Papua Nova Guiné.

"A justiça e a integridade recebem sempre apoio popular", disse.

  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52