sicnot

Perfil

Mundo

Bebé rinoceronte nasceu em França

O jardim zoológico de Amnéville, no leste da França, viu nascer no início do mês um bebé de rinoceronte-branco do sul, uma espécie protegida e em vias de extinção.

Imagem tirada do facebook "Zoo d'Amnéville".

Imagem tirada do facebook "Zoo d'Amnéville".

A fêmea batizada de Bayami pesa 40 quilogramas, mas ainda vai chegar às dimensões dos pais Benny e Yoruba, de duas toneladas e uma e meia, respetivamente.

A pequena Bayami faz parte de uma subespécie dos rinocerontes brancos do Sul, originária do sul da África, que já só tem 20.000 exemplares no mundo e é classificada pela União Internacional para a Conservação da Natureza como "NT" (quase ameaçada).

Já a subespécie de rinocerontes-brancos do Norte é representada atualmente por apenas quatro.

O jardim zoológico de Amnéville emitiu um comunicado em que diz que a espécie é ameaçada pela medicina e farmacologia chinesa.

"Os caprichos da farmacopeia chinesa provoca a caça furtiva, pois um chifre de rinoceronte pode valer 300.000 euros aos caçadores", explica o comunicado.

Em dezembro de 2014, o zoológico também tinha festejado o nascimento de um rinoceronte branco do Sul macho, o Shango.

A 30 de junho, também nasceram no zoo três tigres brancos. Os bebés foram hoje examinados pela primeira vez por especialistas, que determinaram os seus sexos: duas fêmeas e um macho.


Lusa

  • Panda nasce em zoo na Bélgica

    Mundo

    Um panda deu à luz, esta quinta-feira, num jardim zoológico belga, três meses depois de o zoo ter recorrido à inseminação artificial com ajuda de especialistas chineses.

  • “Bebés do Zoo”

    Perdidos e Achados

    O jardim zoológico de Lisboa é um dos zoológicos do mundo com maior taxa de reprodução.Só no ano passado nasceram cerca de 90 crias de espécies diferentes.

  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos poucos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.