sicnot

Perfil

Mundo

Bispos pedem ao Governo venezuelano para permitir entrada de medicamentos no país

A Conferência Episcopal Venezuelana (CEV) pediu na terça-feira ao Governo de Nicolás Maduro para permitir a entrada de medicamentos no país.

© Carlos Eduardo Ramirez / Reut

"É de urgente prioridade que o Executivo permita a entrada de medicamentos no país, devido à sua grande escassez", disse o arcebispo de Maracaibo, Ubaldo Santana.

Durante uma conferência de imprensa, em Caracas, o arcebispo explicou que para a receção e distribuição de medicamentos, recolhidos em vários países, "a Igreja oferece os serviços e infraestrutura da Cáritas e de outras instâncias eclesiais, abertas à cooperação de outras confissões religiosas ou instituições privadas".

"Esse serviço não é a solução definitiva mas é uma ajuda significativa", frisou.

A CEV disse ainda ser "uma necessidade" que o Governo venezuelano "abra de maneira permanente a fronteira" com a Colômbia.

"Ter permitido a sua abertura, no passado domingo, 10 de julho, permitiu que numerosos irmãos pudessem comprar alimentos e medicamentos. A passagem de milhares [35 mil] de cidadãos para o vizinho país é prova evidente da crise", frisou Monsenhor Ubaldo Santana.

Segundo a CEV, os venezuelanos passam "por um momento crucial, nos campos moral, económico, político e social" porque "diminuiu drasticamente a qualidade de vida".

"A escassez e carestia de alimentos, medicamentos e materiais hospitalares está a colocar [o país] à beira de uma crise de segurança alimentar e sanitária com consequências sociais imprevisíveis", frisou.

Para os bispos venezuelanos, "a raiz dos problemas" da crise na Venezuela "está na implantação de um projeto político totalitário, empobrecedor (...) e centralizador que o Governo se empenha em manter".

A 28 de junho, a Igreja Católica denunciou que o Governo venezuelano estava a impedir a receção de alimentos e medicamentos provenientes de outros países, que fazem parte da ajuda humanitária recolhida por organizações católicas.

"Não é possível que não se permita que venham alimentos e medicamentos de outras partes do mundo, enviados por organizações não-governamentais, por organizações da Igreja, e que não se permita, para não deixar evidente que na Venezuela há um gravíssimo problema de escassez, de coisas de primeira necessidade como são alimentos e medicamentos", disse o arcebispo de Caracas, Jorge Urosa Savino.

A 13 de junho, a Venezuela recusou a possibilidade de receber ajuda humanitária em medicamentos.

"Acreditamos na ajuda humanitária, mas é diferente usá-la no quadro que se está usando, que esconde um desejo intervencionista que é inaceitável", disse o embaixador da Venezuela na Organização dos Estados Americanos, Bernardo Álvarez, à margem da 46.ª assembleia-geral daquele organismo, na República Dominicana.

Fontes médicas dão conta que a falta de medicamentos e materiais médicos básicos na Venezuela ronda os 80%, afetando diversos tipos de pacientes, entre eles hipertensos e diabéticos.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • ERSE concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões euros a mais à EDP
    0:53

    País

    José Gomes Ferreira afirmou esta sexta-feira que a ERSE -Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos concluiu que estavam a ser pagos 165 milhões de euros a mais do que o necessário à EDP. Contratos que foram postos em prática em 2007 por Manuel Pinho, na altura ministro da Economia.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59