sicnot

Perfil

Mundo

Guterres foi o mais aplaudido em debate da ONU

Guterres foi o mais aplaudido em debate da ONU

António Guterres teve mais uma prova de fogo na corrida a secretário-geral da ONU. Os candidatos tiveram de responder a perguntas de jornalistas, embaixadores e cidadãos. Guterres foi o candidato mais aplaudido na primeira ronda do debate. Entre os assuntos discutidos estiveram liderança, violações de direitos humanos, gestão da ONU e prevenção dos conflitos internacionais.

Guterres disse que "com a mudança climática e o aumento da população, o mundo está a ficar mais pequeno e os recursos mais escassos" e que é preciso enfrentar esses desafios, disse o candidato.

Na sua declaração inicial no debate, Guterres disse que o próximo secretário-geral da ONU tem de ser "sólido" um "símbolo de unidade" e que "precisa saber combater, e derrotar, o populismo político, o racismo e a xenofobia."

"E esses são valores que defendi toda a minha vida", concluiu.

Em resposta à primeira ronda de perguntas, que se centraram no tipo de liderança que os candidatos pretendem ter, Guterres teve os dois primeiros aplausos espontâneos da noite.

O primeiro foi quando elogiou o atual secretário-geral, Ban Ki-moon, ao dizer que não o pretendia criticar e que o sul-coreano tinha feito "um trabalho fantástico" ao longo dos seus mandatos.

"Precisamos traduzir as muitas iniciativas que temos e atividades que desenvolvemos para uma linguagem que as pessoas de todo o mundo percebam", disse ainda, em resposta a uma pergunta sobre como vai comunicar o trabalho da ONU.

"Mas uma liderança não é apenas uma questão de comunicação. É sobre substância", acrescentou.

Os 10 candidatos presentes no debate desta noite foram divididos em dois grupos.

Guterres faz parte do primeiro grupo, no qual participam ainda Vesna Pusic, da Cróacia, Susana Malcorra, da Argentina, Vuk Jeremic, da Sérvia, e Natalia Gherman, da Moldávia.

No segundo grupo, participam Helen Clark, da Nova Zelândia, Danilo Turk, da Eslovénia, Christiana Figueres, da Costa Rica, Igor Luksic, de Montenegro, e Irina Bokova, da Bulgária.

Com Lusa

  • A proposta dos partidos para a redução da dívida
    1:55

    Economia

    O PS e o Bloco de Esquerda querem mais 45 anos para pagar as dívidas à União Europeia e juros mais baixos. As medidas fazem parte da proposta dos partidos para a redução da dívida pública. No relatório que será enviado ao Governo, não é pedido qualquer perdão de dívida, ao contrário do que os partidos mais à esquerda chegaram a defender.

  • Antigos ministros de Governos de Sócrates ouvidos pelo Ministério Público
    1:54
  • Suspeito de atropelamento mortal diz que foi mero acidente 
    2:00
  • A história de Macron e Brigitte Trogneux, 25 anos mais velha
    1:25

    Eleições França 2017

    A segunda volta das eleições francesas acontece já no próximo dia 7 de maio. Caso Emmanuel Macron seja eleito, o país terá como primeira-dama uma mulher 25 anos mais velha do que o Presidente. Brigitte Trogneux tem 64 anos e Macron 39, conheceram-se no liceu privado de jesuítas, em Amiens. Brigitte era a professora e Macron o aluno. Conheça a história do casal. 

  • Autoridades garantem ter evitado novo ataque terrorista em Londres
    0:59

    Mundo

    A polícia britânica garante que evitou um novo atentado em Londres. Mulher baleada faz parte das oito pessoas que foram detidas numa operação antiterrorista na capital britânica e no sul de Inglaterra. A operação realizou-se após a detenção de um homem com três facas, nas imediações do Parlamento britânico.

  • Polícia espanhola divulga imagens de operação anti-jihadista

    Mundo

    A polícia espanhola divulgou esta sexta-feira novas imagens da operação anti-jihadista levada a cabo na terça-feira em Barcelona. Sabe-se agora que dois dos nove suspeitos detidos podem estar relacionados com a célula terrorista de Bruxelas, responsável pelos ataques no Aeroporto de Zaventem e no metro da capital belga.

  • Menina que nasceu com três pernas já corre após a cirurgia

    Mundo

    Uma criança do Bangladesh que cresceu com três pernas vai regressar a casa, depois de uma viagem até à Austrália, onde foi operada para retirar o membro a mais. Como resultado de um gémeo que não se formou por completo, a criança de três anos nasceu com uma terceira perna na pélvis. Alguns meses após a cirurgia, feita em novembro, a menina já corre.