sicnot

Perfil

Mundo

Medicamentos reduzem risco de transmissão de VIH em relações sexuais sem proteção

Cientistas descobriram que os medicamentos antirretrovirais diminuem significativamente o risco de contágio do Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) em caso de relação sexual não protegida com uma pessoa infetada.

O Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam cerca de 54 mil embalagens de medicamentos ilegais

O Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam cerca de 54 mil embalagens de medicamentos ilegais

© Mohamed Nureldin Abdallah / RA notícia é avançada pelo Jornal de Notícias. Nos últimos três anos o Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam cerca de 54 mil embalagens. Os remédios são normalmente comprados através da Internet, utilizada por redes mafiosas para chegar aos consumidores. O jornal avança que, de acordo com a Base de Dados Nacional de Notificações de Reações Adversas e Medicamentos, em Portugal não foi identificado nenhum caso de morte após a ingestão dessas substâncias.

O estudo foi publicado no Jornal da Associação Médica Americana (JAMA) e foi o maior já realizado para examinar o risco em casais serodiferentes (com diagnósticos opostos) que têm relações sexuais desprotegidas, enquanto o infetado toma medicação para travar a replicação do vírus e reequilibrar o sistema imunitário.

A pesquisa envolveu 900 casais de 14 países europeus, entre 2010 e 2014. Dois terços dos casais eram heterossexuais, e os restantes eram compostos por homens.

Depois de um estudo de uma mediana de 1,3 anos, não foram encontrados casos em que a pessoa seropositiva tivesse transmitido o vírus ao parceiro.

No entanto, confirmaram-se 11 casos em que o parceiro que apresentava diagnóstico negativo de VIH no início passou a positivo.

Dez dos 11 estavam em relações homossexuais, mas os pesquisadores afirmaram que oito dos que passaram a estar infetados admitiram ter tido relações desprotegidas com outras pessoas.

De qualquer modo, as novas infeções não puderam ser molecularmente relacionadas com os parceiros originalmente seropositivos, resultando numa taxa de transmissão igual a zero, nos casais estudados.

"Apesar de estes resultados não fornecerem diretamente uma resposta à pergunta se é seguro praticar sexo sem preservativos em casais serodiferentes, este estudo fornece dados informativos (especialmente para heterossexuais) para os casais puderem construir a sua aceitação ao risco", disse a equipa, orientada por Alison Rodger da University College London.

O JAMA adverte que os casais não devem considerar que o risco de transmissão é sempre nulo e aconselha que o parceiro que com VIH use antiretrovirais durante seis meses, pelo menos, antes de praticar sexo sem preservativo.

Lusa

  • Vídeo 360º: nos céus de Lisboa como nunca esteve

    País

    Três Alpha Jet da Força Aérea Portuguesa estiveram presentes sobre o Jamor, durante a final da Taça entre o Benfica e o Vitória de Guimarães. A SIC e o Expresso acompanharam a passagem das aeronaves através da colocação de câmaras 360º no cockpit de duas delas.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • Gelado de champanhe no centro de mais uma polémica que envolve Ivanka Trump 

    Mundo

    A filha do Presidente Donald Trump está envolvida em mais uma polémica depois de uma publicação da sua marca no Twitter durante o Memorial Day, assinalado esta segunda-feira. Feriado nacional nos Estados Unidos, criado após a Guerra Civil, a data presta homenagem aos militares americanos que morreram em combate. Um dia solene, no qual muitos acolheram mal a dica da marca da atual conselheira da Casa Branca: "Façam gelados de champanhe".

  • Morreu Yoshe Oka, a "hibakusha" que avisou o Japão sobre o ataque a Hiroshima

    Mundo

    Yoshe Oka, a primeira sobrevivente de Hiroshima que informou por telefone as autoridades japonesas sobre a destruição da cidade, em 1945, morreu com 86 anos, vítima de cancro, revelou hoje a família. A "hibakusha", nome pelo qual são conhecidos os sobreviventes dos ataques a Hiroshima e Nagasaki, sofria de doenças relacionadas com os efeitos do bombardeamento. Apesar das consequências do ataque, Oka difundiu, ao longo da vida, a experiência sobre o bombardeamento tendo participado em inúmeros atos pacifistas.