sicnot

Perfil

Mundo

ONU destaca regresso à violência em Moçambique

O alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos disse hoje num discurso em Genebra, na Suíça, que Moçambique "mostra sinais de regresso à violência".

© Grant Neuenburg / Reuters

"Moçambique, que tem sido considerado uma história de sucesso africano nos últimos anos, mostra sinais de retorno à violência", disse Zeid Al Hussein.

O responsável da ONU disse que "o ressurgimento de um conflito armado entre o braço armado da Renamo e o exército nacional levou ao deslocamento de pessoas nas áreas afetadas".

Al Hussein disse ainda que "raptos, execuções sumárias, maus tratos e ameaças a defensores dos direitos humanos e jornalistas foram denunciados" e pediu que fossem apuradas responsabilidades.

"Encorajo o governo a fazer o máximo que pode para penalizar os responsáveis e para enfrentar a corrupção que impede tantos [moçambicanos] de acederem aos seus direitos económicos e sociais", concluiu o responsável.

O chefe de Estado moçambicano, Filipe Nyusi, e o líder da Renamo, Afonso Dhlakama, indicaram em junho terem chegado, por telefone, a um consenso sobre a participação de mediadores internacionais nas negociações para o fim dos confrontos entre as Forças de Defesa e Segurança moçambicanas e o braço armado da oposição.

Apesar de as duas partes terem reatado as negociações, o centro do país continua a ser cenário de relatos de confrontações entre o braço armado da Renamo e as Forças de Defesa e Segurança.

O principal partido de oposição recusa-se a aceitar os resultados das eleições gerais de 2014, ameaçando governar em seis províncias onde reivindica vitória no escrutínio.

No seu discurso em Genebra, o alto comissário analisou ainda vários conflitos mundiais e foram destacadas as realidades de países africanos como Burundi, República Centro-Africana, Sudão, Sudão do Sul, Mali, Mauritânia, Egito e Líbia.

Zeid revelou que "o ódio está a tornar-se generalizado" e que recomeçam a aparecer as "barreiras que atormentaram as gerações anteriores e nunca produziram qualquer solução sustentável para nenhum problema".

Lusa

  • Pecado da gula ameaça maior anfíbio do mundo

    Mundo

    O maior anfíbio do mundo está em sério risco de extinção. Iguaria muito apreciada no Oriente, a salamandra-gigante-da-China já praticamente desapareceu do seu habitat natural, concluiu uma pesquisa realizada durante quatro anos. Em contraste, milhões destes animais são reproduzidos em cativeiro e têm como destino restaurantes de luxo.

  • Reclusos limpam Ria Formosa
    3:01

    País

    Alguns reclusos do estabelecimento prisional de Olhão estão pela segunda vez a limpar a ilha da Armona, na Ria Formosa. São homens que beneficiam de regime aberto e, em fim de cumprimento de pena, têm com este trabalho uma amostra da liberdade que tanto aguardam.

  • Lembra-se dos olharapos da Expo'98? Estão de volta
    1:46