sicnot

Perfil

Mundo

Pequim diz ter "o direito" de instaurar zona de defesa aérea no Mar do Sul da China

Pequim afirmou hoje ter "o direito" de instaurar uma "zona de identificação de defesa aérea" (ADIZ, na sigla em inglês) no Mar do Sul da China, um dia depois de um tribunal internacional ter decidido contra as suas reivindicações em águas estratégicas.

Vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Liu Zhenmin.

Vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Liu Zhenmin.

© China Daily China Daily Infor

"A eventual necessidade de estabelecer uma [ADIZ] no Mar do Sul da China depende do nível de ameaça que enfrentarmos", declarou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros Liu Zhenmin.

"Não transformem o Mar do Sul da China num berço de guerra", afirmou, em declarações aos jornalistas, insistindo: "o objetivo da China é transformar o Mar do Sul da China num mar de paz, amizade e cooperação".

A China reitera as suas reivindicações territoriais na região, que se estendem por quase toda a costa de países vizinhos, depois de o Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia ter decidido a favor das Filipinas, considerando não haver base legal para a pretensão de Pequim.

Liu Zhenmin descreveu a decisão como um "pedaço de papel usado" durante uma conferência de imprensa, alegando que o tribunal tem sido "manipulado".

Os cinco juízes que avaliaram o caso "fizeram dinheiro com as Filipinas", disse ainda Liu, acrescentando que "talvez outras pessoas também tenham ganhado dinheiro" com o processo.

Sublinhou também que quatro dos cinco juízes são de países da União Europeia e que o presidente, embora oriundo do Gana é um residente de longa data na Europa.

"São estes juízes representativos?", questionou, de forma retórica. "Entendem a cultura asiática?"

Um antigo presidente japonês do Tribunal Internacional sobre Direito do Mar, Shunji Yanai, "manipulou todos os procedimentos" nos bastidores, alegou ainda o vice-ministro chinês.

Yanai, antigo embaixador do Japão na Coreia do Sul e nos Estados Unidos, deixou o cargo em 2014.

Liu falava nna apresentação de um 'white paper' sobre a resolução das disputas com as Filipinas, o país que levou o caso ao Tribunal Permanente de Arbitragem, com sede em Haia.

A China foi "a primeira a descobrir, dar nome e a explorar e aproveitar" as ilhas do Mar do Sul da China e as suas águas, e "tem exercido contínua, pacífica e eficazmente" a sua soberania e jurisdição sobre elas", refere Pequim no documento.

Pequim boicotou os procedimentos do Tribunal Permanente de Arbitragem, afirmando que esta instância não tem competência para se pronunciar, e lançou uma ofensiva diplomática e publicitária para tentar desacreditar o tribunal.

A China reivindica a soberania sobre quase todo o Mar do Sul da China, com base numa linha que surge nos mapas chineses desde 1940, e tem investido em grandes operações nesta zona, transformando recifes de corais em portos, pistas de aterragem e em outras infraestruturas.

Vietname, Filipinas, Malásia e Taiwan também reivindicam uma parte desta zona, o que tem alimentado intensos diferendos territoriais com a China.

Em 2013, Manila levou o caso ao tribunal internacional, após 17 anos de negociações.

Lusa

  • Novo dia de protestos contra expropriações na ilha do Farol
    2:30

    País

    A sociedade Polis Ria Formosa concluiu a tomada de posse das construções identificadas como ilegais na ilha do Farol, na Ria Formosa, em Faro. No segundo dia da operação, sob fortes protestos da população, os técnicos da Polis, escoltados pela Polícia Marítima, expropriaram hoje mais 18 construções.

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.

  • Zeca Afonso morreu há 30 anos
    1:11
  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira