sicnot

Perfil

Mundo

Pequim diz ter "o direito" de instaurar zona de defesa aérea no Mar do Sul da China

Pequim afirmou hoje ter "o direito" de instaurar uma "zona de identificação de defesa aérea" (ADIZ, na sigla em inglês) no Mar do Sul da China, um dia depois de um tribunal internacional ter decidido contra as suas reivindicações em águas estratégicas.

Vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Liu Zhenmin.

Vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Liu Zhenmin.

© China Daily China Daily Infor

"A eventual necessidade de estabelecer uma [ADIZ] no Mar do Sul da China depende do nível de ameaça que enfrentarmos", declarou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros Liu Zhenmin.

"Não transformem o Mar do Sul da China num berço de guerra", afirmou, em declarações aos jornalistas, insistindo: "o objetivo da China é transformar o Mar do Sul da China num mar de paz, amizade e cooperação".

A China reitera as suas reivindicações territoriais na região, que se estendem por quase toda a costa de países vizinhos, depois de o Tribunal Permanente de Arbitragem de Haia ter decidido a favor das Filipinas, considerando não haver base legal para a pretensão de Pequim.

Liu Zhenmin descreveu a decisão como um "pedaço de papel usado" durante uma conferência de imprensa, alegando que o tribunal tem sido "manipulado".

Os cinco juízes que avaliaram o caso "fizeram dinheiro com as Filipinas", disse ainda Liu, acrescentando que "talvez outras pessoas também tenham ganhado dinheiro" com o processo.

Sublinhou também que quatro dos cinco juízes são de países da União Europeia e que o presidente, embora oriundo do Gana é um residente de longa data na Europa.

"São estes juízes representativos?", questionou, de forma retórica. "Entendem a cultura asiática?"

Um antigo presidente japonês do Tribunal Internacional sobre Direito do Mar, Shunji Yanai, "manipulou todos os procedimentos" nos bastidores, alegou ainda o vice-ministro chinês.

Yanai, antigo embaixador do Japão na Coreia do Sul e nos Estados Unidos, deixou o cargo em 2014.

Liu falava nna apresentação de um 'white paper' sobre a resolução das disputas com as Filipinas, o país que levou o caso ao Tribunal Permanente de Arbitragem, com sede em Haia.

A China foi "a primeira a descobrir, dar nome e a explorar e aproveitar" as ilhas do Mar do Sul da China e as suas águas, e "tem exercido contínua, pacífica e eficazmente" a sua soberania e jurisdição sobre elas", refere Pequim no documento.

Pequim boicotou os procedimentos do Tribunal Permanente de Arbitragem, afirmando que esta instância não tem competência para se pronunciar, e lançou uma ofensiva diplomática e publicitária para tentar desacreditar o tribunal.

A China reivindica a soberania sobre quase todo o Mar do Sul da China, com base numa linha que surge nos mapas chineses desde 1940, e tem investido em grandes operações nesta zona, transformando recifes de corais em portos, pistas de aterragem e em outras infraestruturas.

Vietname, Filipinas, Malásia e Taiwan também reivindicam uma parte desta zona, o que tem alimentado intensos diferendos territoriais com a China.

Em 2013, Manila levou o caso ao tribunal internacional, após 17 anos de negociações.

Lusa

  • Presidente do Tondela diz que clube foi humilhado
    1:26

    Desporto

    O presidente do Tondela participou esta segunda-feira na conferência de imprensa após o jogo da 23.ª jornada da I Liga com o Sporting. Gilberto Coimbra criticou o árbitro do encontro João Capela, e diz que o tempo de compensação dado a mais foi por uma falta que não foi assinalada sobre um jogador do Tondela, Bruno Monteiro.

  • Último golo do Sporting ao Tondela "é legal e limpinho" 
    0:41

    Desporto

    Jorge Jesus entende que a vitória desta segunda-feira do Sporting frente ao Tondela não merece contestação e destaca o facto de o árbitro ter avisado os jogadores que iria prolongar o tempo extra. Para o treinador dos leões, o golo no minuto 99' é legal. 

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC