sicnot

Perfil

Mundo

Multidão recebe Presidente da Turquia em euforia

O Presidente da Turquia, o islamita Recep Tayyip Erdogan, chegou hoje a Istambul, pouco depois de o porta-voz da presidência anunciar o fim da tentativa de golpe de Estado. As televisões turcas mostraram o avião do chefe de Estado, que estava de férias, a aterrar na pista do aeroporto internacional Atatürk, o maior do país, onde foi recebido e saudado por centenas de pessoas.

© HUSEYIN ALDEMIR / Reuters

Pouco antes da sua chegada, o porta-voz da presidência turca, Ibrahim Kalin, assegurou que a cadeia de comando estava a voltar à ordem, apesar da tentativa de golpe de estado militar posta em marcha na sexta-feira à noite.

"Estamos a reassumir rapidamente o controlo de toda a situação", afirmou também o primeiro-ministro, Binali Yildirim, após anunciar que vários golpistas foram detidos.

Televisão pública volta a emitir

A televisão pública turca TRT voltou esta noite (01:00 de Lisboa) a emitir normalmente, depois de os soldados que a tinham tomado terem abandonado o local.

A apresentadora de televisão da TRT, que há algumas horas tinha lido um comunicado a anunciar a tomado do poder por parte do exército, anunciou que foi forçada a fazê-lo pelos soldados que ocuparam a emissora.

Imagens transmitidas pela televisão mostraram centenas de pessoas a celebrar a saída dos soldados.

Reações do Mundo

A situação na Turquia foi motivo de várias manifestações de preocupação, desde o Presidente dos Estados Unidos ao da Rússia. Da União Europeia, da Grécia, do Irão ou da Alemanha chegaram manifestações no mesmo sentido.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, considerou "inaceitável" a interferência dos militares nos assuntos de qualquer Estado.

Parlamento turco bombardeado

O Parlamento turco foi esta noite bombardeado, segundo a agência de informação France Press.

Dezassete polícias mortos e helicóptero abatido

Dezassete polícias foram esta noite mortos em Ancara, de acordo com a agência pró-governamental, e um avião pró-Erdogan abateu um helicóptero golpista. A situação na Turquia está a ficar cada vez mais tensa.

Mais de uma dezena de pessoas ficaram feridas esta noite em Ancara na sequência da tentativa de golpe de Estado em curso, enquanto nas cidades de Istambul e Izmir muitas pessoas saíram à rua para protestar contra a sublevação. A televisão CNNTurk mostrou imagens de feridos a serem transportados por outras pessoas na capital.

Várias explosões em Ancara e Istambul

Também se ouviram disparos em várias cidades, nomeadamente em Istambul, onde se registaram feridos quando soldados terão disparado sobre pessoas que se manifestavam contra o golpe de Estado, informaram as rádios turcas. Veículos blindados cortaram a principal avenida de Istambul.

Em Ancara ouvem-se disparos e explosões, uma delas junto da sede da polícia. A agência de notícias semioficial Anadolu informou que aviões militares e helicópteros dispararam duas vezes contra o centro da polícia em Ancara.

Em Ancara dois partidos da oposição já condenaram a tentativa de golpe de Estado por parte do exército "Este país já sofreu muito por golpes. Não precisamos que estes problemas se repitam", disse o líder do Partido Republicano do Povo, Kemal Kiliçdaroglu.

"A democracia vai ganhar"

O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, disse esta noite que alguns dos líderes do golpe de Estado já foram presos. "Vários golpistas foram detidos. A democracia vai ganhar", disse o chefe do Governo.

A emissora CNNTurk assegurou que os militares se retiraram do aeroporto de Istambul enquanto milhares de pessoas contra o golpe começaram a entrar no edifício.

A emissora TRT assegurou que os cinco militares golpistas que participaram na ocupação da sua sede foram neutralizados por um grupo de civis.

Os Serviço de Inteligência Turca já anunciaram que fracassou a tentativa de golpe de Estado, admitindo que ainda persistem algumas bolsas de resistência por parte dos militares.

  • Primeiro-ministro agradece sacrifícios dos portugueses
    0:46

    Economia

    O primeiro-ministro diz que os números do INE em relação ao défice de 2016 são prova de que havia uma alternativa e deixou uma palavra de agradecimento aos portugueses. As declarações de António Costa foram feiras aos jornalistas em Roma, onde se encontra para assinalar no sábado os 60 anos da União Europeia.

  • Jerónimo diz que UE vai continuar a causar constrangimentos a Portugal
    0:35

    Economia

    Esta sexta-feira na inauguração de uma exposição em Almada que denuncia a precariedade dos postos de trabalho, Jerónimo de Sousa falou sobre o défice de 2016. Para o secretário-geral do PCP, apesar do Governo ter ido além do exigido por Bruxelas, a União Europeia vai continuar a impedir Portugal de crescer.

  • Enfermeiros desconvocam greve

    País

    O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) desconvocou esta sexta-feira a greve geral nacional marcada para quinta e sexta-feira da próxima semana, anunciou o presidente da estrutura, justificando com os compromissos assumidos pelo Ministério da Saúde.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Probido fumar na praia? Não-fumadores aplaudem ideia
    1:33

    País

    O Comissário Europeu da Saúde defende uma proibição total do consumo de tabaco no espaço público. Esta e outras medidas foram defendidas, ontem, na Conferência Tabaco e Saúde da Liga Portuguesa Contra o Cancro. 

  • Visitar o Titanic vai custar 97 mil euros por pessoa

    Mundo

    Uma viagem a bordo do Titanic em 1912 era considerada uma viagem de luxo. Mais de 100 anos depois, continua a ser um luxo visitar o Titanic. Em 2018, vai ser possível conhecer os restos daquele que em tempos foi o maior navio do mundo. Contudo, nem todos vão poder fazê-lo, pois a viagem irá custar cerca de 97 mil euros por pessoa.