sicnot

Perfil

Mundo

Relatório dos EUA excluiu envolvimento de responsáveis sauditas no 11 de setembro

Os Estados Unidos não dispõem de provas do envolvimento de responsáveis sauditas nos atentados de 11 de setembro em Nova Iorque, referem as páginas secretas de um relatório parlamentar de investigação redigido em 2002 e divulgado apenas esta sexta-feira.

11 de setembro de 2001 - Os Estados Unidos sofrem o pior atentado da sua história contra o Pentágono em Washington e Torres Gémeas, em Nova Iorque. O líder do grupo terrorista Al-Qaida, Bin Laden, que se esconde nas montanhas do Afeganistão, é considerado culpado.

11 de setembro de 2001 - Os Estados Unidos sofrem o pior atentado da sua história contra o Pentágono em Washington e Torres Gémeas, em Nova Iorque. O líder do grupo terrorista Al-Qaida, Bin Laden, que se esconde nas montanhas do Afeganistão, é considerado culpado.

CHAO SOI CHEONG / AP

As agências de informações norte-americanas não conseguiram "identificar de forma definitiva" as ligações entre autoridades sauditas e os atacantes do 11 de setembro de 2001, afirmam nas 28 páginas desclassificadas as comissões de Informações do Senado e da Câmara dos representantes.

Os legisladores das duas bancadas tinham pedido a sua publicação, mas a administração de Barack Obama referiu que apenas o faria após cuidadosa revisão.

A Casa Branca alegou que a comissão para investigar o 11 de setembro criada pelo Congresso examinou a fundo o assunto e não encontrou provas de um vínculo entre as autoridades sauditas e os sequestradores dos aviões que atacaram Nova Iorque e Washington.

Na sua conferência de imprensa diária o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, descartou que o conteúdo do documento resulte de um compromisso com os sauditas, porque "o informe desclassificado" que existia até ao momento afastava essa possibilidade.

O Governo norte-americano receava que a publicação desse estudo afetasse as relações que mantém com um dos seus mais valiosos aliados no Médio Oriente.

O documento pode ser consultado na página digital do Comité de Informações da Câmara baixa dos Estados Unidos.

Em comunicado, o embaixador saudita em Washington, Abdullah Al-Saud, regozijou-se com a divulgação e as conclusões do informe.

Lusa

  • "É mais um notável tiro no pé de Passos Coelho"
    4:04

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite, a polémica em torno de Pedro Passos Coelho, depois do presidente do PSD ter pedido desculpas por ter "usado informação não confirmada", ao falar na existência de suicídios, depois desmentidos, como consequência da falta de apoio psicológico na tragédia de Pedrógão Grande. Sousa Tavares considera que Passos Coelho deu "mais um tiro no pé" e defende que o líder da oposição "está notoriamente desgastado" e "caminha para uma tragédia eleitoral autárquica".

    Miguel Sousa Tavares

  • Este texto é sobre o bom senso. O bom senso que faltou a Passos Coelho quando, esta manhã, depois de uma visita pelas áreas ardidas de Pedrógão Grande, decidiu falar em suicídios. Passos não se referiu a tentativas, mas sim a atos consumados. Deu certezas. Disse que tinha conhecimento de “pessoas que puseram termo à vida” porque “que não receberam o apoio psicológico que deviam.”

    Bernardo Ferrão

  • Simplex+2017 promete simplificar burocracia
    1:08

    País

    Já está online o novo Simplex+2017, que vai simplificar a vida dos cidadãos, empresas e administração pública. Pagar impostos com cartão de crédito e ter o cartão de cidadão ou a carta de condução no telemóvel são alguns exemplos do que está previsto.

  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.