sicnot

Perfil

Mundo

Hollande diz que golpe falhado propicia período de repressão na Turquia

O presidente francês, François Hollande, alertou hoje que o fracasso da tentativa de golpe de Estado de sexta-feira na Turquia propiciará "sem dúvida" um período de repressão no país.

© Eric Gaillard / Reuters

Se o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, "restabeleceu completamente a situação, e creio que é esse o caso, vamos ter um período de muita calma, mas sem dúvida também haverá repressão", declarou o chefe de Estado de França desde Nice, onde na quinta-feira à noite um atentado com um camião matou 84 pessoas.

Na sua primeira intervenção pública sobre o fracasso do golpe de Estado na Turquia, Hollande acrescentou que "um certo número de militares vão ter de responder pelo que fizeram e pelo que não fizeram".

O ministro francês dos negócios estrangeiros, Jean-Marc Ayrault, elogiara anteriormente a "grande maturidade e valentia" da população turca, que foi para a rua para deter os militares golpistas.

"A população turca mostrou a sua grande maturidade e valentia ao comprometer-se com o respeito pelas suas instituições. Pagou o preço com numerosas vítimas, que tenho muito presentes", disse, numa declaração difundida pela diplomacia francesa.

Ayrault sublinhou que a França "deseja que se possa recuperar muito rapidamente a calma" e "espera que a democracia turca saia reforçada deste desafio e que as liberdades fundamentais sejam plenamente respeitadas".

Lusa

  • O golpe de Estado falhado na Turquia
    3:48

    Mundo

    O último balanço do golpe de Estado falhado na Turquia é de 194 mortos (civis e militares), mais de 1.150 feridos e 2.800 detidos. O Presidente Erdogan que já regressou a Ancara diz que a situação está controlada, mas apelou à população para se manter nas ruas. A capital e Istambul, a maior cidade do país, foram os principais palcos da revolta militar. As tropas revoltosas falavam em restaurar a Democracia e a Constituição.

  • Civis resistiram ao avanço dos militares na Turquia
    1:15

    Mundo

    Durante a tentativa de golpe de Estado na Turquia, os militares procuraram controlar locais estratégicos do país como estações de televisão e vias de comunicação. Contudo, a população respondeu ao apelo do presidente e resistiu ao avanço dos militares. A cadeira de televisão "CNN Turquia" foi um dos meios de comunicação tomados pelos militares. A ação militar destruiu vários edifícios do Governo e provocou quase 200 mortos e mais de mil feridos.

  • Fogo na baixa do Porto provoca quatro feridos, dois em estado grave
    1:38

    New Articles

    Um incêndio em três habitações na baixa do Porto, que deflagrou esta noite, provocou quatro feridos, dois em estado grave. O fogo que foi extinto pelos Bombeiros Sapadores do Porto causou cinco desalojados, dos quais quatro foram acolhidos por familiares e um realojado pela junta de freguesia. Desconhece-se a origem das chamas que destruíram três casas.

  • O primeiro dia de Donald Trump na Casa Branca
    3:05
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.