sicnot

Perfil

Mundo

Hollande diz que golpe falhado propicia período de repressão na Turquia

O presidente francês, François Hollande, alertou hoje que o fracasso da tentativa de golpe de Estado de sexta-feira na Turquia propiciará "sem dúvida" um período de repressão no país.

© Eric Gaillard / Reuters

Se o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, "restabeleceu completamente a situação, e creio que é esse o caso, vamos ter um período de muita calma, mas sem dúvida também haverá repressão", declarou o chefe de Estado de França desde Nice, onde na quinta-feira à noite um atentado com um camião matou 84 pessoas.

Na sua primeira intervenção pública sobre o fracasso do golpe de Estado na Turquia, Hollande acrescentou que "um certo número de militares vão ter de responder pelo que fizeram e pelo que não fizeram".

O ministro francês dos negócios estrangeiros, Jean-Marc Ayrault, elogiara anteriormente a "grande maturidade e valentia" da população turca, que foi para a rua para deter os militares golpistas.

"A população turca mostrou a sua grande maturidade e valentia ao comprometer-se com o respeito pelas suas instituições. Pagou o preço com numerosas vítimas, que tenho muito presentes", disse, numa declaração difundida pela diplomacia francesa.

Ayrault sublinhou que a França "deseja que se possa recuperar muito rapidamente a calma" e "espera que a democracia turca saia reforçada deste desafio e que as liberdades fundamentais sejam plenamente respeitadas".

Lusa

  • O golpe de Estado falhado na Turquia
    3:48

    Mundo

    O último balanço do golpe de Estado falhado na Turquia é de 194 mortos (civis e militares), mais de 1.150 feridos e 2.800 detidos. O Presidente Erdogan que já regressou a Ancara diz que a situação está controlada, mas apelou à população para se manter nas ruas. A capital e Istambul, a maior cidade do país, foram os principais palcos da revolta militar. As tropas revoltosas falavam em restaurar a Democracia e a Constituição.

  • Civis resistiram ao avanço dos militares na Turquia
    1:15

    Mundo

    Durante a tentativa de golpe de Estado na Turquia, os militares procuraram controlar locais estratégicos do país como estações de televisão e vias de comunicação. Contudo, a população respondeu ao apelo do presidente e resistiu ao avanço dos militares. A cadeira de televisão "CNN Turquia" foi um dos meios de comunicação tomados pelos militares. A ação militar destruiu vários edifícios do Governo e provocou quase 200 mortos e mais de mil feridos.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John McCain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06