sicnot

Perfil

Mundo

UE condena tentativa de golpe de Estado na Turquia

A representante europeia para a política externa, Federica Mogherini, e o comissário europeu Johannes Hahn condenaram a tentativa de golpe de Estado na Turquia e reafirmaram o seu apoio às instituições democráticas do país.

© Stringer . / Reuters

"Condenamos a tentativa de golpe de Estado na Turquia e reiteramos o nosso total apoio às instituições democráticas do país", afirmam os dois representantes comunitários num comunicado conjunto, emitido hoje, citado pela agência espanhola Efe.

A Alta Representante da UE para a Política Externa e Segurança, Federica Mogherini, o Comissário para o Alargamento e a Política Europeia de Vizinhança, Johannes Hahn, têm estado em contacto com as autoridades turcas e a acompanhar o desenvolvimento dos acontecimentos no país.

"Pedimos o fim do recurso à violência e que a polícia e as forças de segurança" mantenham a moderação e sentido de responsabilidade para evitar mais vítimas, afirmam Mogherini e Hahn, sustentando que "as tensões sociais só podem ser revolvidas através de um processo democrático".

Os dois responsáveis comunitários apelam a um "rápido regresso à ordem constitucional na Turquia, com os seus limites e equilíbrios e sublinham a importância de "o Estado de direito" e as "liberdades fundamentais" prevalecerem.

"A União Europeia mantém a sua solidariedade com a Turquia e com o povo turco", concluem.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.