sicnot

Perfil

Mundo

Arábia Saudita detém adido militar turco suspeito de ligação ao golpe

As autoridades da Arábia Saudita detiveram o adido militar da Turquia no Kuwait, por suspeita de envolvimento no golpe de Estado falhado de sexta-feira passada contra o Presidente turco, informaram hoje os media locais.

© Baz Ratner / Reuters

O adido, identificado como Mikail Gullu, foi detido num aeroporto na cidade oriental de Dammam, na Arábia Saudita, quando tentava entrar num voo para a Alemanha, segundo as mesmas fontes.

"As autoridades sauditas detiveram o adido militar da embaixada da Turquia no Kuwait", informou o diário Asharq Al-Awsat, que cita uma fonte diplomática estrangeira.

Segundo o jornal, o suspeito foi detido "com base num pedido da Turquia durante a sua tentativa de fuga devido a prováveis ligações ao golpe na Turquia".

O canal de televisão saudita Al-Arabiya confirmou a notícia, citando "fontes sauditas", e acrescentou que Gullu se dirigia para Dusseldorf, na Alemanha, via Amesterdão.

O diário Al-Qabas, do Kuwait, acrescentou que Gullu fugiu do Kuwait para a Arábia Saudita por terra.

O embaixador turco no Kuwait, Salih Morat Tamer, disse ao Al-Qabas que Gullu é suspeito de envolvimento na intentona, mas sublinhou que as acusações ainda têm de ser investigadas quando o detido "for entregue à Turquia".

A Turquia foi alvo de uma tentativa de golpe de Estado na sexta-feira à noite, que oficialmente fez pelo menos 290 mortos, entre os quais mais de 100 golpistas.

O presidente turco, Recep Tayyp Erdogan, pôs em marcha uma "grande limpeza" nas forças armadas e na justiça, que já resultou em mais de 6.000 militares detidos, entre os quais 103 generais e almirantes.

Quase 3.000 mandados de detenção foram emitidos contra juízes e procuradores desde a tentativa de golpe e a direção geral de Segurança da Turquia anunciou também hoje que já suspendeu 7.850 agentes por suspeita de ligação ao golpe falhado.


Lusa

  • Erdogan acusa mentores do golpe de serem seguidores de Fethullah Gülen
    1:57

    Mundo

    O golpe de Estado falhado na Turquia foi organizado por um grupo autodenominado "Movimento para a Paz na Nação". Defende mais respeito pelos direitos humanos e pelas liberdades. É inspirado pelo clérigo Fethullah Gülen exilado nos Estados Unidos e acusado de traição. As organizações próximas a Gülen já negaram qualquer ligação ao golpe, mas o Presidente Erdogan atribui-lhes a culpa.

  • A cronologia de um golpe de Estado falhado
    3:14

    Mundo

    A tentativa de golpe de Estado na Turquia começou por volta das oito e meia da noite, hora de lisboa. As forças fiéis ao Presidente turco conseguiram controlar os revoltosos ao fim de duas horas, e depois de violentos confrontos. Num gesto invulgar, a população veio para as ruas para tentar conter o golpe de Estado.

  • Mais de 250 mortos na tentativa de golpe na Turquia
    2:29

    Mundo

    O governo turco quer vingança e pondera a reintrodução da pena de morte para executar os responsáveis pela tentativa de golpe de Estado. O dia ficou marcado pela detenção de milhares de militares, em todo o país. Mas o regime turco está também a levar a cabo uma purga no sistema judiciário. Os confrontos mataram mais de 250 pessoas, incluindo pelo menos 150 civis.

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Greve na Função Pública vai afetar escolas, saúde e cultura

    País

    A greve nacional convocada para sexta-feira pela Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSTFPS) deverá afetar as escolas, a área da saúde e ainda da cultura, entre outros serviços, afirmou esta quarta-feira a dirigente sindical, Ana Avoila.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.