sicnot

Perfil

Mundo

Clinton promete reformas para negros deixarem de temer a polícia

A possível candidata democrata à presidência dos Estados Unidos, Hillary Clinton, prometeu hoje reformas para que os negros deixem de temer a polícia, mas acrescentou que será implacável com qualquer violência contra os agentes da autoridade.

© William Philpott / Reuters

"Esta loucura tem de acabar", afirmou Hillary Clinton sobre a morte de três polícias às mãos de um ex-militar, em Baton Rouge, no Louisiana, dez dias depois de outros cinco agentes terem perdido a vida num ataque em Dallas, no Texas.

Clinton falou na convenção anual da principal associação negra do país, a Associação Nacional para o Avanço das Pessoas de Cor (NAACP), e dedicou as suas primeiras palavras a condenar o sucedido em Baton Rouge e a sublinhar que o país tem "um trabalho difícil, doloroso e essencial pela frente de modo a reparar as diferenças entre a polícia e as comunidades".

"Matar agentes da polícia é um crime terrível. Se os atacam, atacam-nos a todos nós. Como presidente, utilizarei todo o peso da lei para me assegurar de que quem os mata responde perante a Justiça. Não pode haver justificações" para esses atos, afirmou Clinton na convenção.

Ainda que tenha assegurado que "a sua prioridade como presidente" é garantir a segurança dos polícias, admitiu que muitos negros estão frustrados devido aos casos de assassinatos dentro das comunidades afro-americanas, por parte de agentes da lei.

"Muitos negros temem a polícia", reconheceu a ex-secretária de Estado, que acrescentou que é necessário "reformar o sistema de justiça criminal, porque todos estamos mais seguros quando existe respeito pela lei e quando todas as pessoas são respeitadas pela lei".

Hillary Clinton criticou também aquele que deverá ser o seu rival nas eleições de novembro como candidato pelo partido republicano, Donald Trump, por não aceitar o convite para falar na convenção da NAACP.

A candidata considerou Donald Trump uma ameaça à democracia e apontou a falta de plataformas políticas do candidato republicano e o facto de uma das suas empresas se ter negado a arrendar a cidadãos afro-americanos nos anos 1970.

"Donald Trump faz-se de tímido quando se encontra com supremacistas brancos. Donald Trump insulta os imigrantes mexicanos... Donald Trump rebaixa as mulheres. Donald Trump quer banir uma religião de entrar no país" apontou Hillary Clinton, considerando que o seu adversário "não se pode tornar presidente".

Com Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.