sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 7500 pessoas detidas depois da tentativa de golpe de Estado na Turquia

Mais de 7 mil e 500 pessoas foram detidas, na Turquia, depois da tentativa de golpe de Estado, da passada sexta-feira. O número foi avançado esta manhã pelo primeiro-ministro turco, no final de uma reunião do Conselho de Ministros, em Ancara.

© Murad Sezer / Reuters

O governante revelou que, entre os detidos, há mais de 6 mil militares, cerca de 750 magistrados e uma centena de elementos da polícia. Foram também emitidos cerca de 3 mil mandados de captura contra juizes, magistrados e procuradores.

A agência noticiosa pró-governamental Anadolu avança ainda que quase 9 mil funcionários do Ministério do Interior foram despedidos, a maioria elementos das forças policiais. O Presidente turco decidiu também afastar um governador provincial e 29 municipais.

Os despedimentos surgem no quadro de uma vasta purga do aparelho do Estado desencadeada por Erdogan. Atinge pessoas suspeitas de terem ligações a Fethullah Gulen, um clérigo turco exilado nos Estados Unidos.

Acusado por Erdogan de ter promovido a tentativa de golpe de Estado, Gulen já negou qualquer envolvimento e insinuou que pode ter sido o próprio Presidente turco a organizar o golpe.

Lusa

  • Vídeo mostra passagem da carrinha a alta velocidade nas Ramblas
    0:33

    Ataque em Barcelona

    O jornal espanhol El Pais divulgou hoje  as primeiras imagens da carrinha que matou 13 pessoas e feriu mais de 100 em Barcelona. O vídeo foi registado por  uma câmara de videovigilância de um museu nas Ramblas. Mostra pessoas a desviarem antes da passagem rápida da carrinha branca. Esta terá sido a parte final do percurso feito pelo veículo.

  • Castelo Branco aposta na cultura para preservar raízes e fomentar turismo
    5:26

    SIC 25 Anos

    Com perto de 200 mil habitantes, o distrito de Castelo Branco luta para criar projetos diferenciadores para atrair e ancorar a população. O desemprego tem vindo a baixar, numa região fortemente envelhecida. A capital do distrito aposta na cultura para preservar as raízes e fomentar o turismo, e a Universidade da Beira Interior tem cada vez mais alunos estrangeiros.