sicnot

Perfil

Mundo

Milhares de turcos manifestam apoio a Erdogan

Milhares de pessoas reuniram-se ontem em Istambul e Ancara para prestar apoio ao presidente turco, na sequência do golpe de estado falhado de sexta-feira. Três dias depois da tentativa de golpe, as autoridades turcas apelaram à população para ficar mobilizada, enquanto multiplicaram as prisões entre os membros do exército e da justiça.

© Baz Ratner / Reuters

As manifestações concentraram-se na praça Taksim, em Istambul, e na praça Kizilay, em Ancara, onde era esperada a presença de Erdogan, que acabou por não aparecer.

"Durante o dia vamos trabalhar. À noite, depois do trabalho, continuamos a nossa vigília nos locais públicos", disse o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, perante a multidão na capital.

A Turquia foi alvo de uma tentativa de golpe de Estado na sexta-feira à noite, mas o Presidente, Recep Erdogan, e Governo recuperaram o controlo do país no sábado.

O último balanço do Governo turco aponta para 290 mortos entre revoltosos (100) e civis e forças leais a Erdogan (190), mais de 1.400 feridos, cerca de 6.000 detidos e cerca de 3.000 mandados de prisão emitidos contra juízes e procuradores.

Com Lusa

  • Erdogan lança purga na justiça e no exército
    2:16

    Mundo

    O golpe de estado falhado, na Turquia, está a legitimar uma purga nas forças armadas e na justiça. A pretexto da segurança nacional, Erdogan já mandou prender seis mil pessoas. Esta tarde, durante os funerais de seis das vítimas da rebelião, o presidente turco voltou a falar da reintrodução da pena de morte.

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".