sicnot

Perfil

Mundo

A selfie polémica de Ryan Paul, líder da Câmara dos Representantes dos EUA

O líder da Câmara dos Representantes dos EUA está no centro de uma polémica. Em causa está uma selfie tirada junto de mais de 100 estagiários do Capitólio e publicada no Instagram. À primeira vista, nada de anormal parece existir, mas os olhares mais atentos chamam a atenção para a ausência de minorias entre os presentes e criticam Ryan Paul pela falta de diversidade na política.

Num ano de eleições, no qual os direitos civis estão a assumir um papel ainda mais relevante que em outras ocasiões, as críticas à selfie de Ryan Paul numa sala cheia de estagiários não se fizeram esperar.

Na sua conta do Instagram, o líder da Câmara dos Representantes publicou a fotografia com a legenda "Penso que isto estabelece um recorde do maior número de estagiários numa única selfie".

Instagram

As manifestações de repúdio foram quase imediatas, dado que a grande maioria dos presentes são brancos - em mais de cem estagiários, apenas três são de cor. Razão pela qual a selfie já é comparada, nas redes sociais, às imagens de "Onde está o Wally?"

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38