sicnot

Perfil

Mundo

Amnistia diz que Direitos Humanos estão em perigo após tentativa de golpe na Turquia

Os Direitos Humanos estão em grave perigo na Turquia após a tentativa de golpe de Estado na madrugada de sábado passado, que resultou, em pelo menos, 208 mortos e quase 8 mil detidos, alertou hoje a Amnistia Internacional.

STR

Vários responsáveis do Governo turco sugeriram a reintrodução da pena de morte no sistema jurídico do país, como forma de punição daqueles que forem considerados culpados na tentativa de Golpe, sublinha a organização não-governamental de defesa dos Direitos Humanos num comunicado enviado às redações.

A Amnistia Internacional (AI) está a investigar denúncias de uma série de abusos que alegadamente estão a ser cometidos contra os milhares de detidos, incluindo a recusa de acesso a advogados.

"O enorme número de detenções e suspensões desde sexta-feira é alarmante e estamos a acompanhar a situação de muito perto. A tentativa de golpe desencadeou níveis de violência terríveis e os responsáveis por mortes ilegais e outros abusos dos Direitos Humanos terão que ser levados perante a justiça. Esmagar a dissidência e ameaçar reintroduzir a pena de morte não são justiça", afirma no comunicado John Dalhuisen, diretor da AI para a Europa e a Ásia Central.

"Apelamos à contenção e ao respeito das autoridades turcas pela lei e justiça enquanto levam a cabo as investigações necessárias, garantindo julgamentos justos para os detidos e a libertação de todos aqueles em relação aos quais não tiverem provas concretas de terem participado em atos criminais", acrescentou o ativista.

"Um recuo nos direitos humanos é a última coisa de que a Turquia precisa", rematou John Dalhuisen.

Apesar dos números não serem claros, as autoridades turcas anunciaram que 208 pessoas foram mortas e que mais de 1.400 foram feridas entre Istambul e Ancara na madrugada de sábado passado, quando uma fração dos militares tentaram tomar o poder, invadindo estações de televisão e disparando sobre o Parlamento e edifícios da presidência turca, recorda a AI.

Nos dias a seguir à tentativa de golpe, o Governo turco levou a cabo "purgas generalizadas" nas forças armadas, sistema judiciário e ramificações civis do Ministério do Interior, resultando na "detenção de 7.543 conspiradores do golpe, 318 dos quais foram colocados sob prisão preventiva", contabiliza a AI.

Foram suspensos 7 mil polícias e 2700 juízes e procuradores foram afastados dos seus postos, representando cerca de um quinto da totalidade dos magistrados do sistema judiciário turco. 450 membros do setor judiciário foram detidos, acrescenta o comunicado da AI.

"As detenções e suspensões generalizadas são profundamente preocupantes num contexto de crescimento da intolerância contra dissidentes pacíficos por parte do Governo turco, e há o perigo desta repressão seja estendida aos jornalistas e ativistas da sociedade civil", afirma John Dalhuisen.

"Nos últimos meses, ativistas políticos, jornalistas e outros críticos de autoridades ou políticas públicas têm sido frequentemente visados e meios de comunicação encerrados", acusa Dalhuisen.

"É hoje mais importante do que nunca que o Governo turco respeite os Direitos Humanos e o Estado de direito numa forma que os conspiradores do golpe não fizeram", conclui John Dalhuisen.

Lusa

  • PSOE apresenta moção de censura contra Mariano Rajoy

    Mundo

    O PSOE apresenta hoje uma moção de censura contra o presidente do governo, Mariano Rajoy. A notícia está a ser avançada pelos meios de comunicação social espanhóis. Em causa está a condenação judicial de vários dirigentes do Partido Popular no caso de corrupção, conhecido como "Gurtel".

  • Assembleia-geral do Sporting marcada para 23 de junho
    2:57
  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.

  • Pelo menos 50 mortos em naufrágio na RD Congo

    Mundo

    Cinquenta corpos foram resgatados depois que um barco ter naufragado num rio no noroeste da República Democrática do Congo (RDCongo) na quarta-feira, de acordo com um relatório oficial entregue hoje à Agência France Presse (AFP).

  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC