sicnot

Perfil

Mundo

Daesh reivindica ataque no comboio alemão que causou 11 feridos

O Daesh disse hoje que o refugiado afegão que atacou 11 passageiros de um comboio na Alemanha é um dos combatentes do grupo extremista, referiu hoje a agência ligada ao grupo extremista.

Karl-Josef Hildenbrand

"O autor do ataque à faca na Alemanha era um dos combatentes do Daesh", refere a agência Amaq.

Entretanto, um desenho de uma bandeira do Daesh foi encontrado no quarto do cidadão afegão que feriu os onze passageiros de um comboio regional alemão, disse hoje o ministro bávaro do Interior.

O ministro disse ao canal de televisão pública ZDF que além do desenho da bandeira do Daesh, o jovem afegão gritou "Allhah Akbar" quando atacava os passageiros com um machado e uma faca, na segunda-feira à noite.

Onze pessoas foram atingidas pelo atacante, quatro das quais encontram-se em estado de saúde considerado grave.

O ataque aconteceu a bordo de um comboio regional, na cidade de Wuerzburg, na Baviera.

O refugiado afegão, de 17 anos, foi morto pela polícia na sequência do ataque, no momento em que tentava escapar às autoridades.

Com Lusa

  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Putin sai em defesa de Trump
    2:29

    Mundo

    Vladimir Putin já saiu em defesa de Donald Trump e diz que houve uma tentativa de minar o Presidente eleito dos Estados Unidos, através de um alegado relatório, atribuido à espionagem russa. Putin diz que o relatório é falso.