sicnot

Perfil

Mundo

Sete soldados mortos nos confrontos mais graves da Ucrânia em dois meses

O exército ucraniano afirmou hoje que sete soldados foram mortos e 14 feridos entre segunda-feira e hoje, nos confrontos mais graves com os separatistas pró-russos em dois meses, no leste da Ucrânia.

"Nas últimas 24 horas, como resultado de operações militares, sete militares ucranianos morreram e 14 ficaram feridos", disse o porta-voz dos militares, Andriy Lysenko.

Este é o maior número de mortes desde 24 de maio, quando sete soldados também morreram.

O anúncio é feito na sequência de conversações entre líderes de vários países e Moscovo para pôr fim a uma guerra que já dura 26 meses.

A ex-república da União Soviética está afundada em lutas que já tiraram 9.500 vidas e agravou as relações entre Moscovo e o Ocidente.

Kiev e os seus aliados acusam a Rússia de planear e fornecer armamento para revoltas depois da destituição do antigo Presidente ucraniano, apoiado por Moscovo, Viktor Yanukovytch, em fevereiro de 2014.

A Rússia anexou a península da Crimeia em março de 2014, depois de um referendo aos habitantes, que deu vitória à separação da Ucrânia.

Como resultado, as relações diplomáticas entre a Rússia e o Ocidente agravaram-se com mais tensão.

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, nega que esteja a apoiar os rebeldes, e diz que alguns soldados que estavam fora de serviço ou de férias "seguiram o chamamento do coração" e se juntaram à causa dos insurgentes.

Há também efeitos nas negociações internacionais para pôr fim também à guerra na Síria, que dura há mais de cinco anos, em que a Rússia tem um papel fulcral como aliada do Presidente Bashar Al-Assad.

  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22