sicnot

Perfil

Mundo

Tribunal paquistanês confisca bens de ex-presidente Pervez Musharraf

O tribunal paquistanês que está a julgar por alta traição o ex-presidente Pervez Musharraf, ausente do país, confiscou hoje bens e congelou contas bancárias devido às repetidas faltas durante o processo.

© Mian Kursheed / Reuters

O tribunal adiou novas sessões do processo até que o militar seja detido ou se entregue às autoridades, dois meses depois de ter declarado Musharraf fugitivo da justiça, disseram fontes judiciais ao diário paquistanês Dawn.

"De acordo com a lei, o acusado não ser julgado à revelia", afirmou o presidente do Tribunal Superior de Peshawar (noroeste), Mazhar Alam Miankel.

Pervez Musharraf saiu do Paquistão a 18 de março para tratamento médico no Dubai, prometendo regressar poucos meses depois.

A saída do militar foi possível depois de o Supremo Tribunal ter levantado a proibição de viajar imposta há três anos pelo governo paquistanês.

Musharraf, que ocupou durante quase uma década na sequência de um golpe de Estado em 1999, está a ser julgado por ter suspendido a ordem constitucional e decretar a detenção de dezenas de juízes em 2007.

Pervez Musharraf, único dos quatro ditadores militares do Paquistão que foi detido, tentou há três retomar a carreira política, quando voltou ao país para participar nas eleições gerais, mas a Justiça impediu a participação e o ex-presidente acabou por ser detido.


Lusa

  • Eduardo Cabrita nomeado ministro da Administração Interna

    País

    O primeiro-ministro propôs esta quarta-feira ao Presidente da República a nomeação de Eduardo Cabrita para o cargo de ministro da Administração Interna e de Pedro Siza Vieira para ministro Adjunto do primeiro-ministro. A tomada de posse realiza-se no sábado às 09:00.

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08