sicnot

Perfil

Mundo

Tribunal paquistanês confisca bens de ex-presidente Pervez Musharraf

O tribunal paquistanês que está a julgar por alta traição o ex-presidente Pervez Musharraf, ausente do país, confiscou hoje bens e congelou contas bancárias devido às repetidas faltas durante o processo.

© Mian Kursheed / Reuters

O tribunal adiou novas sessões do processo até que o militar seja detido ou se entregue às autoridades, dois meses depois de ter declarado Musharraf fugitivo da justiça, disseram fontes judiciais ao diário paquistanês Dawn.

"De acordo com a lei, o acusado não ser julgado à revelia", afirmou o presidente do Tribunal Superior de Peshawar (noroeste), Mazhar Alam Miankel.

Pervez Musharraf saiu do Paquistão a 18 de março para tratamento médico no Dubai, prometendo regressar poucos meses depois.

A saída do militar foi possível depois de o Supremo Tribunal ter levantado a proibição de viajar imposta há três anos pelo governo paquistanês.

Musharraf, que ocupou durante quase uma década na sequência de um golpe de Estado em 1999, está a ser julgado por ter suspendido a ordem constitucional e decretar a detenção de dezenas de juízes em 2007.

Pervez Musharraf, único dos quatro ditadores militares do Paquistão que foi detido, tentou há três retomar a carreira política, quando voltou ao país para participar nas eleições gerais, mas a Justiça impediu a participação e o ex-presidente acabou por ser detido.


Lusa

  • Suspeito de atropelamento mortal na Luz confessou que esteve no local
    0:45
  • Corrida à Agência Europeia Medicamento "não é fácil", admite Costa
    0:50

    Brexit

    António Costa confirmou a apresentação da candidatura para a transferência da agência europeia do medicamento de Londres para Portugal. À margem da cimeira extraordinário sobre o Brexit, o primeiro-ministro salientou a importância da instalação do instituto no país para reforçar a competitividade no setor