sicnot

Perfil

Mundo

Washington vai levar novos lançamentos de mísseis norte-coreanos à ONU

Os Estados Unidos anunciaram esta noite que vão manifestar na ONU a sua preocupação sobre os novos lançamentos de mísseis norte-coreanos, em violação das resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

© KCNA KCNA / Reuters

"Temos a intenção de manifestar a nossa preocupação às Nações Unidas, a fim de reforçar a determinação internacional em responsabilizar [a Coreia do Norte] por estas ações provocadoras", disse o comandante Gary Ross, porta-voz do Pentágono, depois do lançamento de três mísseis balísticos por Pyongyang.

A Coreia do Norte disparou três mísseis balísticos hoje, anunciaram as Forças Armadas da Coreia do Sul.

Na semana passada, a Coreia do Norte tinha feito ameaças por causa da instalação na Coreia do Sul de um sistema antimíssil norte-americano.

Os mísseis, lançados na cidade de Hwangiu, voaram entre 500 e 600 quilómetros em direção ao mar do Japão, referiram, em comunicado, os líderes dos ramos das Forças Armadas sul-coreanas.

As tensões têm aumentado desde que Pyongyang realizou o seu quarto teste nuclear, em janeiro, seguido de uma série de lançamentos de mísseis.

Em março, o Conselho de Segurança da ONU impôs as mais duras sanções até à data à Coreia do Norte depois de Pyongyang ter levado a cabo o seu quarto ensaio nuclear e de ter disparado um 'rocket', num ato visto como um teste de míssil balístico encoberto.

Lusa

  • Roger Moore, o ator que foi 007 e um Santo
    1:26

    Cultura

    Morreu Roger Moore. O ator britânico tinha 89 anos e morreu na Suíça, vítima de cancro. Ficou conhecido pelo mítico papel de James Bond entre os anos 70 e 80, tendo sido o ator que mais tempo se manteve no papel. Em 2003, foi condecorado pela rainha Isabel II e tornou-se Sir Roger Moore.

  • Ucrânia limita utilização do russo na televisão

    Mundo

    O Parlamento da Ucrânia aprovou esta terça-feira uma lei que determina que três quartos dos programas televisivos dos canais nacionais devem ser transmitidos em ucraniano, medida que visa limitar o uso da língua russa naquele país.