sicnot

Perfil

Mundo

Acidente aéreo na China causa cinco mortos

Cinco pessoas morreram e outras cinco encontram-se hospitalizadas na sequência de um acidente aéreo ocorrido na cidade de Xangai, na costa leste da China, avançou hoje a agência noticiosa oficial Xinhua.

Em maio de 2015, um avião da Joyair derrapou quando se preparava para descolar, provocando sete feridos. (Foto de arquivo)

Em maio de 2015, um avião da Joyair derrapou quando se preparava para descolar, provocando sete feridos. (Foto de arquivo)

© China Stringer Network / Reut

O acidente envolveu um hidroavião da companhia aérea de baixo custo Joyair, que transportava dez pessoas e realizava o seu voo inaugural.

Os destroços do avião foram já recuperados, mas os motivos do acidente, que ocorreu dez minutos após o avião descolar, "não são claros", escreveu a Xinhua

Sedeada em Xian, cidade do centro da China, a Joyair foi fundada em 2009 pela Corporação Industrial de Aviação da China e a companhia aérea estatal China Eastern Airlines.


Lusa

  • Reportagem Especial dá a voz aos despedidos da banca
    1:18
  • CEMGFA admite que várias armas roubadas estão em condições de ser usadas
    2:06

    Assalto em Tancos

    Afinal há várias armas roubadas em Tancos que estão em condições de ser utilizadas, sendo que apenas os lança-granadas-foguete estão obsoletos. Esta manhã, o general Pina Monteiro admitiu, no Parlamento, que a declaração que fez há duas semanas pode ter induzido em erro a opinião pública. O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) diz, ainda, que se houvesse indícios sobre colaboração do Exército neste caso, os suspeitos estariam presos.

  • Pais de Charlie Gard querem que o bebé morra em casa

    Mundo

    Depois de terem renunciado à batalha judicial para manterem o filho com vida, os pais do bebé britânico Charlie Gard desejam agora levar a criança para morrer em casa. O desejo foi revelado pelo advogado de Chris Gard e Connie Yates, numa audiência esta tarde, no Supremo Tribunal de Londres. Contudo, o hospital responsável pelo caso admite que os cuidados a Charlie não podem ser feitos em casa.