sicnot

Perfil

Mundo

Aviões tentam intercetar barcos da guarda costeira turca perto de águas gregas

​Aviões militares turcos descolaram hoje para intercetar dois barcos da guarda costeira turca que estariam a tentar entrar em águas territoriais gregas, informou a agência de notícias Dogan, cinco dias depois do golpe de Estado falhado na Turquia.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

Os aviões "realizaram uma operação contra dois barcos da guarda costeira turca que estariam a tentar atravessar em águas territoriais gregas", disse a agência de notícias Dogan.

Ainda não está claro se as embarcações estão a transportar suspeitos ligados à tentativa de golpe, pois essas informações ainda não foram confirmadas pelo Governo turco.

"Um navio da Marinha grega foi enviado perto da ilha de Symi (Egeu), mas nada permite confirmar a chegada das tropas turcas para esta ilha", disse uma fonte do governo grego.

A ilha grega de Symi fica perto da estância turca de Marmaris, onde estava o Presidente Recep Tayyip Erdogan na sexta-feira noite, no início da tentativa de golpe, escapando, disse o chefe de Estado, por pouco de um ataque do comando golpista.

O Governo turco reprimiu duramente os militares envolvidos na tentativa de golpe, além de realizar uma purga entre juízes, professores universitários e funcionários públicos.

Oito oficiais turcos fugiram para a Grécia, na sequência do golpe fracassado de sexta-feira que tentou derrubar o Presidente Recep Tayyip Erdogan.

Os oito - dois comandantes, quatro capitães e dois sargentos que pediram asilo na Grécia - negaram qualquer envolvimento e insistem que fugiram da Turquia para salvar suas vidas depois de estarem sob o fogo da polícia.

Os militares, que chegaram na Grécia de helicóptero no sábado depois de enviar um sinal de socorro para as autoridades no aeroporto no norte da cidade de Alexandropolis, estão a enfrentar um julgamento por entrada ilegal no país e a Turquia quer a extradição desses militares.

O golpe falhado de sexta-feira deixou cerca de três dezenas de mortos e milhares de detidos.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19