sicnot

Perfil

Mundo

Bélgica disposta a assumir presidência rotativa da UE após renúncia britânica

Reuters

A Bélgica disponibilizou-se hoje para assumir a presidência rotativa da União Europeia (UE) no segundo semestre de 2017, depois de o Reino Unido ter renunciado à mesma, na sequência do referendo que ditou a saída do bloco europeu.

A Bélgica está oficialmente disponível para se encarregar da presidência rotativa da UE, mas fonte do Conselho Europeu adiantou à Lusa que a decisão ainda não estará tomada a nível dos embaixadores dos Estados-membros junto da UE (Coreper), hoje reunidos para debater a questão.

Segundo fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros belga, citada pela AFP, Bruxelas já deu conta da sua disponibilidade para assegurar a presidência rotativa de 01 de julho a 31 de dezembro de 2017.

Na terça-feira à noite, a primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou por telefone ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que renunciava à presidência rotativa da UE.

Na conversa, Tusk considerou que ser preciso um 'Brexit' calmo e tranquilo, apelando a um "divórcio de veludo" entre o Reino Unido e a UE.

No dia 23 de junho, os britânicos escolheram sair do bloco europeu (o 'Brexit'), em referendo, faltando agora invocar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa de modo a iniciar o processo que se estima ir demorar cerca de dois anos.

A Bélgica assumiu a presidência rotativa da União Europeia no segundo semestre de 2010.

  • Roger Moore, o ator que foi 007 e um Santo
    1:26

    Cultura

    Morreu Roger Moore. O ator britânico tinha 89 anos e morreu na Suíça, vítima de cancro. Ficou conhecido pelo mítico papel de James Bond entre os anos 70 e 80, tendo sido o ator que mais tempo se manteve no papel. Em 2003, foi condecorado pela rainha Isabel II e tornou-se Sir Roger Moore.

  • Ucrânia limita utilização do russo na televisão

    Mundo

    O Parlamento da Ucrânia aprovou esta terça-feira uma lei que determina que três quartos dos programas televisivos dos canais nacionais devem ser transmitidos em ucraniano, medida que visa limitar o uso da língua russa naquele país.