sicnot

Perfil

Mundo

Declarado estado de emergência na Turquia

O Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou esta noite o estado de emergência no país, pelo período de três meses.

Erdogan reuniu esta quarta-feira o Conselho de Segurança Nacional, numa reunião extraordinária no palácio presidencial de Ancara, que durou cinco horas.
Além da proposta de declaração do estado de emergência no país esteve em debate o regresso da pena de morte.
Ao mesmo tempo, continuam a ser afastados de cargos públicos milhares de militares, polícias e outros funcionários, acusados de ligações ao golpe de estado falhado.

O estado de emergência é necessário para "erradicar rapidamente todos os elementos da organização terrorista envolvidos na tentativa de golpe de Estado", afirmou.

A Turquia acusa o grupo do clérigo Fethullah Gulen de estar envolvido no golpe.

O país foi alvo de uma tentativa de golpe de Estado na sexta-feira à noite, mas o Presidente, Recep Erdogan, e Governo recuperaram o controlo do país no sábado.

O último balanço do governo turco aponta para 308 mortos entre revoltosos, civis e forças leais a Erdogan e mais de 1.400 feridos.

Segundo o Presidente, quase 11.000 pessoas foram detidas no âmbito do inquérito à tentativa de golpe de Estado.

Com Lusa

  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Hospitais já registam picos de afluência apesar de casos de gripe serem ainda poucos
    2:13

    País

    A gripe ainda não chegou em força, mas nos últimos dias foram vários os hospitais com grande afluências de doentes, sobretudo idosos e com infeções respiratórias. Em alguns dias desta semana o número de doentes disparou para mais de 600, como disse à SIC o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.