sicnot

Perfil

Mundo

Desperdício de comida conduz a perdas de quase mil milhões de dólares por ano

O diretor geral da multinacional alimentar Nestlé, Paul Buckle, defendeu hoje a necessidade de reduzir para menos de metade o desperdício de comida, que cada ano custa 940.000 milhões de dólares aos consumidores, agricultores e à indústria alimentar.

Num artigo coassinado com o presidente do Instituto de Recursos Mundiais (WRI, na sigla em inglês), Andrew Steer, Buckle recorda que um terço dos alimentos acabam no lixo, um problema que acredita que pode ter uma solução mediante as diretrizes globais que ajudam a indústria e os governos a medir a sua perda alimentar.

Cerca de 400 empresas do setor acordaram no ano passado reduzir o desperdício de comida para metade dentro da sua cadeia alimentar até 2025.

No ponto de vista de Paul Buckle, reduzir o desperdício de comida não só é benéfico para as empresas, na medida em que aproveitam melhor os seus recursos, mas também tem um impacto positivo para a sociedade.

"É chocante que mais de 800 milhões de pessoas -- uma em cada nove no mundo - estejam mal nutridas, e que 1.000 milhões de toneladas de comida produzidas para o consumo se desperdicem", lamentou o executivo.

"As perdas não acabam aí: a produção dessa comida desperdiçada consome 24% de toda a água destinada à agricultura e é responsável por 8% do total de emissões de gases com efeito de estufa", assegurou Buckle.

Um total de 193 países comprometeram-se a reduzir o desperdício de alimentos para metade nesse mesmo ano, no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento para 2030 da ONU.

Buckle acrescentou que se é possível "conseguir que mais comida chegue às pessoas, isso melhorará a sua nutrição e a sua saúde, enquanto se reduzirá a pressão sobre os recursos naturais".

"É uma pena que se perca tanta comida. Com colaboração e compromisso, podemos inverter a tendência. Aqueles que meçam os seus desperdícios poderão manuseá-los melhor", conclui Buckle no artigo.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.