sicnot

Perfil

Mundo

Erdogan manda ministro francês "meter-se nos seus assuntos"

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, mandou o ministro dos Negócios Estrangeiros Francês, Jean-Marc Ayrault, "meter-se nos seus assuntos", devido às críticas que fez à purga nacional iniciada após a tentativa falhada de golpe de Estado.

O chefe da diplomacia francesa pediu no domingo respeito pelo Estado de Direito na Turquia, recusando dar "qualquer cheque em branco" ao Presidente Erdogan, que lançou uma grande purga no rescaldo da tentativa falhada de golpe de Estado.

"Ele deve meter-se nos seus assuntos", disse Recep Erdogan em entrevista à Al-Jazeera.

"Ele tem autoridade para fazer aquelas afirmações sobre mim? Não, não tem. Se ele quer uma lição de democracia posso dar-lhe, facilmente", acrescentou.

Na entrevista, o Presidente turco disse também que não faz "purgas".

"Aqueles que tentaram prejudicar a democracia devem ser perseguidos no âmbito do Estado de Direito", disse.

A Turquia foi alvo de uma tentativa de golpe de Estado na sexta-feira à noite, mas o Presidente Recep Erdogan e Governo recuperaram o controlo do país no sábado.

O último balanço do governo turco aponta para 308 mortos entre revoltosos, civis e forças leais a Erdogan e mais de 1.400 feridos.

Segundo o Presidente, quase 11 mil pessoas foram detidas no âmbito do inquérito à tentativa de golpe de Estado.

Lusa

  • Avião cruza-se com drone a 900 metros de altitude
    2:01
  • Naufrágio na Colômbia registado em vídeo
    2:11
  • PSP descentraliza a regularização de armas
    3:55

    País

    A PSP de Bragança percorreu os 12 concelhos do distrito ao encontro dos proprietários de armas com vista à sua regularização. A iniciativa, que pretende evitar a deslocação das pessoas à capital de distrito, teve uma forte adesão.

  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.

  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.