sicnot

Perfil

Mundo

Governo alemão pede que não se relacionem refugiados com atentado de 2ª feira

KARL-JOSEF HILDENBRAND

O Governo alemão pediu hoje para que não se relacionem os milhares de refugiados, que vivem no país, com o atentado cometido na segunda-feira num comboio suburbano por um jovem requerente de asilo.

"O aterrador ato de uma pessoa não pode desacreditar todo um grande grupo", disse, em conferência de imprensa, Steffen Seibert, porta-voz da chancelaria.

De acordo com as investigações, o autor do atentado, um requerente de asilo de 17 anos registado como afegão, atuou de forma solitária, precisou Seibert.

A chanceler, Angela Merkel, que ainda não se pronunciou sobre o incidente, foi informada em permanência através dos ministérios do Interior e da chancelaria.

Pouco antes, o ministro do Interior, Thomas de Maizière, tinha confirmado que o ataque, do qual resultaram cinco feridos, foi um "atentado cometido por uma única pessoa que se sentiu incitada ou inspirada pela propaganda do Daesh".

O ministro reconheceu que se estão a ser investigadas todas as pistas que apontem para possíveis ligações de refugiados com organizações terroristas, mas na maioria dos casos foi comprovado que esses indícios são falsos.

"Não se pode dizer que não exista qualquer relação entre refugiados e terrorismo, mas antes a ameaça já era alta, independentemente da questão dos refugiados", manifestou De Maizière.

O ministro exortou ainda os voluntários e as famílias de acolhimento que recebem requerentes de asilo, em particular menores que chegam sozinhos, como caso deste jovem morto pela polícia ao tentar escapar, que "não se deixem intimidar" pelos acontecimentos e continuem a participar nessas tarefas.

O governante disse ainda que há dúvidas sobre a nacionalidade do autor do atentado.

"Há indicações segundo as quais não se trata de um afegão, mas de um paquistanês, mas devemos deixar essa questão para as investigações que estão a decorrer", afirmou, em declarações â cadeia de televisão pública ZDF.

Entre os elementos que sugerem a nacionalidade paquistanesa está a análise do vídeo em que o Daesh reivindica o ataque e que mostra o autor a anunciar o ato recorrendo a termos de um dialeto pashtun, falado no Paquistão e não no Afeganistão, referiu a ZDF, acrescentando que a pronúncia é "claramente paquistanesa".

Em 2015 a Alemanha registou a chegada de 1,1 milhões de refugiados, onde se incluíam 60.000 menores são acompanhados, e no primeiro semestre de 2016 contabilizou-se a entrada de mais 222.000 pessoas requerentes de asilo.

Com Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras