sicnot

Perfil

Mundo

Incêndio destrói pelo menos 10 andares num arranha-céus no Dubai

Incêndio destrói pelo menos 10 andares num arranha-céus no Dubai

Um incêndio num arranha-céus residencial no Dubai danificou pelo menos dez andares. O fogo deflagrou nos pisos intermédios da Torre Sulafa, perto da Marina do Dubai.

Não foram registados quaisquer feridos, contudo os prejuízos materiais são elevadores.

Os bombeiros conseguiram apagar as chamas em cerca de três horas.

Nos últimos anos, já foram reportados mais incêndios em arranha-céus no Dubai e, este é o quinto. Segundo os peritos, o fogo ganhou maiores proporções devido ao material inflamável, utilizado no revestimento exterior das torres.

  • Incêndio em edifício nas imediações dos festejos de Ano Novo no Dubai
    1:49

    Mundo

    Um incêndio de grandes proporções deflagrou num hotel de luxo no Dubai próximo da torre mais alta do mundo, e onde as pessoas se estavam a juntar para assistir às celebrações de Ano Novo, adiantou a polícia local. O gabinete de imprensa do Governo do emirado do Dubai, citado pela AFP, anunciou na rede social Twitter que um incêndio eclodiu no hotel Adress Downtown, e que as autoridades já estão no local para garantir "uma resposta rápida e segura". Testemunhas próximas do icónico Burj Khalifa, o edifício mais alto do mundo, afirmaram que se avistavam chamas de grandes dimensões no hotel.

  • Pelo menos sete feridos no incêndio em arranha-céus do Dubai

    Mundo

     Pelo menos sete pessoas ficaram feridas por inalação de fumo e centenas foram evacuadas de suas casas no Dubai, na sequência do incêndio que ocorreu esta madrugada num arranha-céus, informou o departamento de Defesa Civil dos Emirados Árabes Unidos.   O fogo, que deflagrou no 50º andar de um total de 79, começou às 02:00 horas locais (23:00 em Lisboa) e obrigou à desocupação do edifício de 336 metros de altura, um dos mais emblemáticos e do Dubai.   "O fogo começou num lado da torre e quando descemos para ver o que estava a acontecer ficámos muito assustados, sobretudo pelo efeito do vento", disse à Agência EfE, um espanhol residente num edifício adjacente ao 'Tocha', Carlota Quesada.No grupo de rede social Facebook 'Espanhóis no Dubai', algumas mensagens narravam os acontecimentos: "A desocupação foi muito eficaz, é um milagre que não haja feridos", escreveu Sonia Estel Arya.O maior perigo ocorreu quando caiu um vidro derretido, detritos e móveis da torre, uma situação que levou a Defesa Civil a fechar todas as ruas perto do edifício.   De acordo com uma mensagem publicada na rede social Twitter, a polícia do Dubai assegurou que não há suspeita que o incêndio tenha sido provocado.   Desde que foi inaugurado, o edifício tem sido afetado diariamente por falsos alarmes de fogo o que fez com que os moradores tenham ignorado a possibilidade de um acidente real, contou outra testemunha.  No edifício conhecido por 'Torch' (tocha), com 676 apartamentos, residem na sua maioria expatriados.   O incêndio, cujas causas se desconhecem e que terá começado no 50.° andar e alastrado a outros pisos da torre residencial de luxo, foi declarado extinto cerca de três horas depois de ter deflagrado, indicou a Defesa Civil do Dubai.   O fogo ocorreu apenas um dia depois de outro grave incêndio numa zona industrial em Musafah, Abu Dhabi, que causou dez mortos e oito feridos, segundo a agência espanhola Efe.  

  • O primeiro dia de Donald Trump na Casa Branca
    3:05
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.