sicnot

Perfil

Mundo

Angola aprova lei da amnistia para crimes punidos até 12 anos de prisão

(Arquivo)

© Amr Dalsh / Reuters

A Assembleia Nacional angolana aprovou hoje a Lei da Amnistia, que poderá beneficiar até agosto cerca de oito mil cidadãos, que cometeram crimes até 11 de novembro de 2015 e com penas até 12 anos.

A lei foi aprovada com 142 votos a favor da bancada parlamentar do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido maioritário, nenhum voto contra e 33 abstenções.

Em declarações à imprensa, o ministro da Justiça e dos Direitos Humanos de Angola, Rui Mangueira, disse que a lei, com caráter humanista, decorre no âmbito da celebração dos 40 anos de independência do país, completados a 11 de novembro do ano passado.

Rui Mangueira disse que há um trabalho a ser feito pelos serviços penitenciários, em coordenação com os tribunais, para se dar tratamento a todos os casos que sejam abrangidos por este diploma legal, de iniciativa do Presidente angolano, José Eduardo dos Santos.

Segundo o governante angolano, o trabalho dos serviços penitenciários e dos tribunais está a ser feito também com o objetivo de descongestionar as penitenciárias angolanas, o que aponta para um leque substancial de cidadãos a serem beneficiados.

Na apresentação da lei, o titular da pasta da Justiça e dos Direitos Humanos de Angola sublinhou que esta é "uma medida de generosidade para os condenados", cujo castigo se torna demasiado caro para o Estado angolano.

"Nós temos uma população prisional na ordem dos 23.000, não há neste momento a possibilidade de dar números precisos", referiu o ministro, salientando que há ainda aspetos do ponto de vista técnico-jurídico a ser analisados para se apurar o número de beneficiários.

"Quando uma pessoa comete vários crimes ao mesmo tempo, alguns deles podem ser amnistiados e outros não, e o exemplo que eu quero dar é quando uma pessoa comete um crime de roubo que depois dá lugar a um homicídio, portanto, o roubo eventualmente poderá ser amnistiado e o homicídio claro que não, porque está excluído", explicou o ministro.

Entretanto, o líder da bancada parlamentar do MPLA, Virgílio de Fontes Pereira, na sua declaração política saudou a medida, que, disse, deverá beneficiar cerca de 8.000 pessoas, entre detidos e condenados, que se estima venham a ser libertados em agosto próximo.

A lei, que abrange cidadãos nacionais e estrangeiros, prevê um regime geral de amnistia para os crimes comuns, puníveis com penas de prisão até 12 anos, com exceção dos crimes dolosos cometidos com violência ou ameaça contra pessoas e as contravenções cometidas por militares e não militares até 11 de novembro de 2015.

Prevê igualmente um regime geral de amnistia para todos os crimes militares cometidos até 11 de novembro de 2015, com exceção dos crimes dolosos cometidos com violência, que resultaram em morte, um regime de perdão na ordem de um quarto da pena, aplicável aos crimes não abrangidos pela presente amnistia, ponderada às circunstâncias legais.

Rui Mangueira referiu que o processo de amnistia arranca logo que seja publicada a lei, que não abrange os crimes cometidos com carácter violento, de natureza sexual e de auxílio ou promoção à imigração ilegal.

Lusa

  • "PCP não é força de suporte do Governo"
    2:11

    País

    Ao segundo dia de congresso comunista, ouviu-se o aviso mais forte, até agora, ao PS. João Oliveira, líder parlamentar do partido, diz que o PCP não se diluiu e que não é suporte do Governo. Já Jerónimo de Sousa deixou elogios à excelente geração de jovens que estão na frente política do PCP.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.