sicnot

Perfil

Mundo

Grécia altera lei eleitoral e antecipa para os 17 anos a idade de votar

© Paul Hanna / Reuters

O Parlamento grego aprovou hoje uma alteração à lei eleitoral, que antecipa para os 17 anos a idade legal mínima para votar, e outra que, a prazo, irá eliminar o bónus de 50 assentos parlamentares para o partido vencedor.

Enquanto a antecipação da idade que confere capacidade eleitoral terá efeito já nas próximas eleições, o bónus de assentos parlamentares para o partido vencedor será apenas eliminado dentro de duas eleições a partir de agora.

Este adiamento resulta do fracasso do Syriza conseguir na quinta-feira os dois terços necessários no Parlamento para introduzir esta alteração específica. A antecipação da idade para votar requeria uma maioria simples e é introduzida de imediato.

Um total de 179 deputados votaram a favor das alterações, 89 votaram contra e 16 abstiveram-se.

Os críticos da lei consideram que a eliminação do bónus de 50 assentos parlamentares para o partido vencedor tornará ainda mais difícil a um partido sozinho conseguir uma maioria abrangente e provocará mais instabilidade política.

Mesmo com o sistema de bónus vigente, foram necessárias eleições sucessivas em 2012 antes que a Grécia pudesse ter Governo, afundando ainda mais durante meses um país já em crise económica profunda.

Alexis Tsipras levou o Syriza à vitória em setembro último e as próximas eleições legislativas estão previstas para 2019.

A introdução do sistema de representação proporcional é uma das bandeiras antigas do Syriza e o compromisso de Tsipras é agora concretizado, apesar de o seu Governo assentar numa maioria frágil de três assentos e muitos vaticinarem que não irá conseguir levar o seu mandato de quatro anos até ao fim.

A popularidade de Tsipras tem sido bastante afetada desde que foi obrigado a assinar no ano passado um acordo de resgate financeiro com a União Europeia que permitiu à Grécia manter-se na moeda única.

Atualmente, Alexis Tsipras aparece nas intenções de voto consistentemente atrás de Kyriakos Mitsotakis, líder do partido conservador da Nova Democracia.

Lusa

  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC

  • Presidente do Uganda quer proibir sexo oral

    Mundo

    O Presidente do Uganda emitiu um aviso público durante um conferência de imprensa anunciando que vai banir a prática de sexo oral no país. Yoweri Museveni justifica o ato, explicando que "a boca serve para comer".

    SIC