sicnot

Perfil

Mundo

Radovan Karadzic recorre da sentença de 40 anos de prisão

© POOL New / Reuters

O antigo líder político dos sérvios da Bósnia, Radovan Karadzic, recorreu hoje da sentença de 40 anos de prisão por genocídio e acusou os juízes de terem realizado um "processo político".

Nos documentos apresentados, Karadzic indica 50 razões para recorrer da sentença do Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia (TPIJ), garantindo ser vítima "de um processo político encenado para confirmar a diabolização do povo sérvio da Bósnia e ele próprio", afirmou o advogado Peter Robinson, em comunicado.

No veredito histórico de 24 de março passado, os juízes do TPIJ reconheceram Radovan Karadzic culpado de genocídio pelo assassínio de cerca de oito mil homens e rapazes muçulmanos em Srebrenica, em julho de 1995, no pior massacre cometido na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Karadzic foi também reconhecido culpado em nove outras acusações, mas os juízes consideraram não existirem provas suficientes para afirmar, para além de dúvida razoável, que tinha cometido genocídio em sete outros municípios bósnios.

O ex-líder sérvio bósnio, que tinha anunciado a intenção de interpor recurso, considerou que os juízes "presumiram a sua culpa e construíram um processo para justificar essa presunção", afirmou o advogado.

Peter Robinson disse que o processo não foi justo por ter sido conduzido por juízes "que nada sabem da região, da cultura, línguas ou história, que se baseiam em procedimentos estrangeiros e conduzem um processo numa língua estrangeira".

Radovan Karadzic, de 71 anos, foi o mais importante responsável a ser julgado neste tribunal pelos crimes cometidos durante esta guerra, após a morte, em 2006, do antigo Presidente sérvio Slobodan Milosevic durante o seu processo.

Antigo presidente da entidade dos sérvios bósnios, a República Sprska, Karadzic fugiu à justiça internacional durante 13 anos, escondendo-se sob a identidade de um especialista em medicinas alternativas.

Detido em 2008, o processo começou em 2009 e terminou em 2014, após 497 dias de audiências e 586 testemunhas.

A guerra na Bósnia, entre 1992 e 1995, deixou mais de 100 mil mortos e 2,2 milhões de deslocados.


Lusa

  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.