sicnot

Perfil

Mundo

Turquia defende adesão aos valores democráticos em reunião do G20

Mehmet Simsek

© Umit Bektas / Reuters

O Governo da Turquia defendeu hoje perante o G20 o seu respeito pelos valores democráticos e Estado de Direito, depois de declarar na semana passada o estado de emergência no país pela tentativa falhada de golpe de Estado.

"Apesar do que aconteceu há uma semana na Turquia, continuamos a aderir fortemente aos princípios democráticos e a aplicar o Estado de Direito", disse Mehmet Simsek, vice-ministro das Finanças turco, num fórum na cidade chinesa de Chengdu (centro), antes de uma reunião dos titulares das pastas das Finanças e governadores de bancos centrais do G20.

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, proclamou na noite de quarta-feira o estado de emergência durante três meses, em resposta à tentativa falhada de golpe de Estado de 15 de julho.

"Na realidade, nada mudou muito", afirmou o vice-ministro das Finanças turco, que reconheceu que há "sinais de interrogação" pela situação em que o seu país se encontra.

"Alguns dos nossos países amigos e aliados europeus também aplicaram o estado de emergência e as pessoas estão mais descontraídas em relação a isso", disse Simsek.

Desde a tentativa falhada de golpe de Estado, de 15 de julho, mais de 11.000 pessoas foram detidas, enquanto 44.500 funcionários públicos foram suspensos dos seus postos de trabalho.

A ONU e a União Europeia pediram esta semana às autoridades turcas que respeitem a democracia, o estado de Direito e as liberdades fundamentais.

Lusa

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.

  • Partido Podemos com votação inédita em Espanha
    1:32

    Mundo

    Há uma votação inédita em Espanha. O Podemos começou esta terça-feira a decidir a continuidade do líder do partido, depois de Pablo Iglesias e a companheira terem comprado uma casa de 600 mil euros.

  • 14 sacerdotes suspensos por abusos sexuais no Chile

    Mundo

    A diocese da cidade chilena de Rancagua anunciou na terça-feira a suspensão de 14 sacerdotes implicados num novo escândalo de abusos sexuais sobre jovens e menores. Todos eles pertenciam a um grupo de se autointitulou de "La Familia", segundo a investigação jornalística.