sicnot

Perfil

Mundo

FBI investiga fuga de mensagens do Partido Democrático

​A Polícia Federal de Investigação (FBI) anunciou que está a investigar a "invasão cibernética" do Comité Nacional Democrático (DNC), depois da fuga de mensagens eletrónicas.

As mensagens revelam que líderes do partido tentaram prejudicar a campanha de Bernie Sanders, concorrente à nomeação do partido para as presidenciais de novembro.

A fuga de documentos na sexta-feira provocou alvoroço à medida que a convenção democrática - para formalizar a nomeação de Hillary Clinton para a eleição presidencial - começa em Filadélfia.

A campanha de Clinton tem procurado desviar-se de questões sobre tentativas do partido para inviabilizar a candidatura do rival Sanders, sugerindo que a Rússia está por detrás das fugas de informação para ajudar o candidato republicano Donald Trump.

"O FBI está a investigar uma invasão cibernética que envolve o DNC e está a trabalhar para determinar a natureza e o alcance da matéria", disse a polícia federal, numa curta declaração.

"Um compromisso desta natureza é algo que encaramos de forma séria, e o FBI vai continuar a investigar e a responsabilizar aqueles que são uma ameaça para o ciberespaço", lê-se também na declaração.

O portal da Internet WikiLeaks publicou no fim de semana quase 20 mil mensagens eletrónicas trocadas entre janeiro de 2015 e maio de 2016, adquiridos por piratas eletrónicos que alegadamente invadiram as contas de sete líderes do Comité Nacional Democrático.

O escândalo em relação ao aparente desvio dentro do partido, que supostamente é neutro em relação aos candidatos, levou a presidente do DNC, Debbie Wasserman Schultz, a anunciar no domingo que se demitirá do cargo no final da convenção.

A campanha de Clinton, entretanto, está a tentar impor a ideia de que a Rússia esteve por detrás da fuga de mensagens para ajudar à vitória de Trump.

"Especialistas dizem que funcionários do Estado russo invadiram o DNC, retiraram essas mensagens, e agora estão a publicá-los através desses 'sites'", contou o responsável da campanha Robbu Mook ao canal de televisão norte-americano ABC.

"É problemático que alguns especialistas estejam agora a dizer-nos que isto foi feito pelos russos com o objetivo de ajudar Donald Trump", continuou.

Trump tem tentado há muito recolher votos dos eleitores insatisfeitos que acham que Sanders -- que se descreve como socialista democrático e que foi inicialmente rejeitado por ser considerado um candidato à margem -- não teve uma oportunidade justa na corrida à nomeação.

Lusa

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • Milhares na cidade da justiça de Barcelona
    1:44
  • Detido 5º suspeito do atentado de Barcelona

    Mundo

    As autoridades espanholas detiveram hoje na região de Valência um cidadão marroquino de 24 anos, residente em Espanha, por alegada colaboração com o grupo islâmico responsável "pelos atentados terroristas" em Barcelona, em agosto.

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC