sicnot

Perfil

Mundo

ONU alerta para número recorde de vítimas civis no Afeganistão

© Mohammad Ismail / Reuters

A missão das Nações Unidas no Afeganistão (UNAMA) alertou hoje para o "número recorde de vítimas civis" no país no primeiro semestre do ano, com 5.166 mortos e feridos.

A UNAMA precisa, num relatório, que foram registados 1.601 mortos civis e 3.565 feridos nos primeiros seis meses do ano, mais 4% do que no mesmo período de 2015, e que "um terço das vítimas são crianças", das quais 388 morreram.

Segundo a missão da ONU, estes números são os mais elevados desde 2009, quando começou a fazer a contagem das vítimas civis do conflito no Afeganistão.

O relatório refere que 60% foram vítimas de ações dos insurgentes, 23% das tropas afegãs, 2% de grupos armados pró-governamentais e 1% das forças internacionais. Há ainda 13% de vítimas de várias partes e 4% de explosivos abandonados.

A UNAMA realça que as vítimas de ações insurgentes diminuíram 11%, mas as causadas pelas forças afegãs aumentaram 47%.

A missão da ONU refere ainda o aumento de 110% das vítimas de operações aéreas, que fizeram 57 mortos e 104 feridos.

O exército do Afeganistão tem aumentado a sua capacidade aérea e pela primeira vez desde 2009 as vítimas de operações das forças aéreas afegãs (111) são mais do que as causadas pelas forças estrangeiras (50).

O relatório manifesta também preocupação com o crescente número de vítimas civis do grupo terrorista Daesh: 122 face a 13 no primeiro semestre do ano passado.

Desde 2009, a UNAMA contabilizou 22.941 civis mortos e 40.933 feridos no Afeganistão.


Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00
  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.

  • "Meninas proibidas de usar saias curtas e roupa transparente" para evitar abusos em Timor
    0:50
  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43