sicnot

Perfil

Mundo

Trump criticado pela ameça de saída da Organização Mundial de Comércio

​A Casa Branca criticou o candidato presidencial republicano, Donald Trump, por ameaçar retirar os Estados Unidos da América (EUA) da Organização Mundial do Comércio (OMC).

A Casa Branca criticou hoje o candidato presidencial republicano, Donald Trump, por ameaçar retirar os Estados Unidos da América (EUA) da Organização Mundial do Comércio (OMC).

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, reagiu na conferência de imprensa diária sobre a afirmação feita por Trump, no domingo, de que poderia "retirar" o país da OMC, se chegar ao poder, depois de classificar a organização como "um desastre".

"Sair da OMC (...) teria consequências gravemente negativas para a economia dos EUA e para os trabalhadores estadunidenses", assegurou Earnest.

Os Estados Unidos "beneficiam de uma relação comercial eficaz com países de todo o mundo", acrescenta.

As críticas de Donald Trump à OMC surgem de uma suposta intenção do organismo internacional em travar o plano do magnata para aplicar impostos às empresas norte-americanas que se instalam no exterior para reduzir custos.

"Haverá um imposto", disse Trump numa entrevista, no domingo, no programa "Meet the Press", da NBC.

O magnata também tem sido muito crítico da NATO (Organização do Tratado do Atlântico Norte), pois considera ser obsoleta e financiada de forma desproporcionada pelos Estados Unidos.

Lusa

  • "A banca parece que não aprendeu nada com a bolha imobiliária de 2008"
    3:23

    Opinião

    O Governo quer limitar a venda de produtos financeiros pelos bancos. Está no parlamento uma proposta de lei que penaliza as más práticas comerciais e tenta proteger os clientes, evitando abusos e encargos excessivos e obrigando os bancos a prestarem-lhes mais informação. A proposta prevê ainda que seja dada mais formação aos funcionários. Miguel Sousa Tavares considera a decisão do Governo acertada uma vez que protege os interesses dos clientes. O comentador da SIC faz ainda referência ao ano 2008, início da crise no ramo imobiliário por "culpa dos credores".

    Miguel Sousa Tavares

  • PSP apreende 11 armas e 700 quilos de droga
    0:59

    País

    A PSP recuperou mais três das 57 pistolas Glock que foram dadas como desaparecidas da Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública, há mais de um ano. As armas foram apreendidas na última madrugada durante uma operação de combate ao tráfico de estupefacientes. Três pessoas foram detidas. Além das três Glock que pertenciam à PSP, foram aprendidas mais 11 armas e 700 quilos de droga.

  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser "derrotada como todos os outros"

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47

    Opinião

    Donald Trump admite regras mais apertadas para quem compra armas, isto após o tiroteio numa escola da Florida que fez 17 mortos. Miguel Sousa Tavares defende que os Estados Unidos da América são "uma sociedade de pistoleiros" e diz que a Associação Nacional de Rifles "gasta muito dinheiro" para conseguir que as leis não sejam mudadas no Senado.

    Miguel Sousa Tavares