sicnot

Perfil

Mundo

Bruxelas nega que esteja a falhar acordo com a Turquia

SIC/ ARQUIVO

A Comissão Europeia negou hoje que não esteja a cumprir o acordado com a Turquia, no âmbito da crise dos refugiados, e a faltar com os fundos, como acusou hoje o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Em conferência de imprensa, em Bruxelas, Margaritis Schinas, porta-voz do executivo comunitário, garantiu que a "União Europeia (UE) continua a cumprir os seus compromissos, no âmbito do tratado UE/Turquia" e espera-se que as autoridades de Ancara também o façam e que "a cooperação continue".

"A UE está a respeitar os seus compromissos e o que for dito em contrário não é verdade", afirmou a mesma fonte, indicando a alocação, até ao momento, de cerca de 740 milhões de euros e a preparação de uma "medida especial suplementar" de 1,4 mil milhões de euros. Até "ao final do mês", a alocação de verbas irá chegar, assim, aos 2,15 mil milhões de euros, o que prova que a UE cumpre os compromissos, segundo o porta-voz.

Uma fonte comunitária indicou à agência France Presse que 105 milhões de euros, dos 740 milhões, foram já dispensados à Turquia.

Margaritis Schinas sublinhou que estes valores visam apoiar os refugiados na Turquia e não é dinheiro para "o país e para o Governo turco".

Os fundos visam melhorar as acomodações e criar infraestruturas, bem como garantir condições de educação.

À televisão pública alemã ARD, o Presidente turco disse hoje que a UE não está a cumprir o acordo que prevê que Ancara acolha de volta os migrantes que viajaram desde o seu território para as ilhas gregas.

Em troca da cooperação, os líderes europeus concordaram em acelerar a liberalização dos vistos para os turcos, relançar as negociações de adesão e ainda duplicar para um total de seis mil milhões de euros a ajuda que será concedida à Turquia até 2018 e que se destina a melhorar as condições de vida dos 2,7 milhões de sírios refugiados no país.

Segundo Erdogan, a Turquia só recebeu até agora menos de dois milhões de euros, pelo que "os governos [europeus] não estão a ser honestos".

"Três milhões de sírios, ou pessoas do Iraque, estão agora na Turquia. (...) A União Europeia não cumpriu aquilo que prometeu nesta matéria", afirmou.

Segundo o Presidente turco, os gastos da Turquia em ajuda a refugiados sírios ascendem já a 12 mil milhões de euros.


Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.