sicnot

Perfil

Mundo

Filipe VI começa hoje a ouvir os partidos políticos

© POOL New / Reuters

O rei de Espanha, Filipe VI, inicia hoje a ronda de consultas com 14 representantes de partidos políticos com assento no Congresso dos Deputados, para depois apresentar um candidato a presidente do governo.

A ronda de consultas termina na quinta-feira, com Filipe VI a receber o líder da formação mais votada a atual primeiro-ministro, Mariano Rajoy, do Partido Popular (PP).

Depois das conversações, Filipe VI convocará a presidente do Congresso, Ana Pastor, para a informar do resultado das consultas.

Não há prazo previsto na Constituição espanhola para o rei apresentar a proposta de candidato a presidente do executivo, mas vários políticos apontam um prazo curto, uma vez que o país tem um governo de gestão desde o início do ano.

Mariano Rajoy, líder do PP e presidente do governo em gestão, acredita ser possível que o novo governo seja escolhido a 02 de agosto, para ser votado um dia depois no Congresso de Deputados e, no caso de não conseguir maioria absoluta, haja uma segunda votação dois dias depois.

O PP foi o partido mais votado nas eleições de 26 de junho, apesar de não ter conseguido maioria absoluta, com 137 deputados.

O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) ficou em segundo lugar, conquistando 85 lugares, enquanto a aliança Unidos-Podemos ficou em terceiro, com 71 deputados. A quarta formação mais votada foi o Ciudadanos, que alcançou 32 assentos.

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Míssil lançado do Iémen intercetado perto de Meca

    Mundo

    Um míssil balístico lançado pelos rebeldes xiitas do Iémen foi intercetado, quinta-feira à noite, perto de Meca, na Arábia Saudita, a um mês da peregrinação muçulmana anual do hajj, anunciou a coligação árabe que intervém no Iémen.