sicnot

Perfil

Mundo

Fortes medidas de segurança nas Jornadas Mundiais da Juventude em Cracóvia

As medidas de segurança foram também reforçadas nos locais de encontros com o Papa Francisco, que chega a Cracóvia amanhã.

© Alessandro Bianchi / Reuters

A Polónia mobilizou mais de 40 mil homens para proteger centenas de milhares de jovens peregrinos que participam, a partir de hoje e até domingo, nas Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), em Cracóvia.

A organização do encontro mundial de jovens católicos espera receber entre um milhão e meio e dois milhões de jovens, mas as inscrições oficiais rondam as 360 mil, incluindo cerca de sete mil portugueses.

O governo destacou 20 mil agentes, incluindo 7.500 nas ruas, nove mil bombeiros, 800 elementos do serviço de proteção do executivo e 11 mil guardas de fronteira. As autoridades polacas mantêm há semanas um discurso tranquilizador. Por um lado, não existe qualquer perigo de atentado, por outro lado, estão a fazer tudo para impedir qualquer tentativa.

Depois do tiroteio de Munique (sul da Alemanha), do ataque de Nice (sudeste de França) e dos atentados de Paris e Bruxelas, toda concentração importante parece ser potencialmente um risco.

Além do dispositivo de segurança em Cracóvia e nos restantes locais que o papa vai visitar, a Polónia - que integra o espaço europeu Schengen de livre circulação - restabeleceu os controlos nas fronteiras comunitárias, nos portos e aeroportos, a 04 de julho, na véspera da cimeira da NATO e vai mantê-los até ao fim da JMJ.

Para facilitar as operações, os aeroportos de Cracóvia-Balice e Katowice-Pyrzowice vão contar, durante a JMJ, com guardas de fronteiras de Portugal e Itália (no primeiro) e da Bélgica e Espanha (no segundo).

O governo polaco não quis divulgar o custo da segurança destas JMJ, mas o projeto de orçamento para este ano, aprovado em setembro passado, incluía uma provisão especial de cerca de 23 milhões de euros.

As medidas de segurança foram também reforçadas nos locais de encontros com o Papa Francisco, que vai chegar a Cracóvia na quarta-feira.

O chefe da Igreja católica parece um alvo potencialmente provável para fanáticos religiosos islamitas.

O atentado na praça de São Pedro, a 13 de maio de 1981, do turco Ali Agca contra João Paulo II mostrou, há 35 anos, que um Papa também está tão exposto a este perigo como um líder político.

Lusa

  • Sérgio Conceição no radar do FC Porto

    Desporto

    O treinador português e os seus representantes têm marcada para esta sexta-feira uma reunião decisiva com o FC Porto. Sérgio Conceição poderá ser o sucessor de Nuno Espírito Santo no comando técnico dos dragões.

  • Morreu José Manuel Castello-Lopes

    Cultura

    O empresário de cinema morreu esta quinta-feira aos 86 anos. A notícia da morte foi avançada hoje pela Academia Portuguesa de Cinema na sua página de Facebook.

  • Grupo armado mata 28 cristãos no Egito
    1:03
  • PSD quer criar taxa sobre a Uber e Cabify
    1:21

    Economia

    O PSD quer criar uma taxa sobre a Uber e Cabify para regulamentar as plataformas de transporte. A proposta deu entrada esta sexta-feira, no Parlamento, e procura ser uma alternativa ao projeto lei do Governo para o setor.

  • Médico português a caminho de Mossul
    3:01

    País

    Um médico português vai partir para o Iraque, no final do mês, para integrar uma equipa dos Médicos Sem Fronteiras. Gustavo Carona vai para Mossul, uma cidade bastião dos jihadistas, que tem sido palco de uma violenta guerra entre o Daesh e as forças iraquianas.

  • Filho de Eduardo dos Santos gasta 500 mil euros em relógio

    Mundo

    Desta vez não é Isabel dos Santos que dá que falar, mas sim um outro filho do Presidente de Angola. Danilo dos Santos arrematou um relógio por 500 mil euros, num leilão em Cannes. O momento foi partilhado através de um vídeo no Instagram, no qual aparece o ator Will Smith a comentar que o jovem "parece demasiado novo para ter 500 mil euros".

  • O "chega p'ra lá" de Trump
    2:35
  • A promessa e a peregrinação do Presidente no Luxemburgo
    2:28

    País

    O Presidente da República promete voltar ao Luxemburgo até ao final do ano, se houver mais 10 mil portugueses recenseados até julho. Marcelo Rebelo de Sousa participou esta quinta-feira na peregrinação em honra de Nossa Senhora de Fátima, que todos os anos recebe milhares de emigrantes portugueses.

    Enviados SIC