sicnot

Perfil

Mundo

"Um cristão que não seja revolucionário neste tempo, não é cristão"

© Max Rossi / Reuters

O papa Francisco afirma, no prefácio do "DOCAT", uma tradução popular do documento de Doutrina Social da Igreja Católica, que é apresentado hoje, em Cracóvia, que "um cristão que não seja revolucionário neste tempo, não é cristão".

O "DOCAT", apresentado no âmbito Jornada Mundial da Juventude (JMJ), vai fazer parte da coleção "Youcat", sendo a Paulus Editora, a distribuidora oficial para a língua portuguesa deste novo volume que aborda a Doutrina Social da Igreja, "numa linguagem jovem, acessível e dinâmica".

"Com a força do Evangelho, podemos mudar realmente o mundo", afirma o papa Francisco no prefácio da obra, que é "uma tradução popular da Doutrina Social da Igreja Católica, tal como foi desenvolvida em importantes documentos desde Leão XIII", que foi pontífice de 1878 a 1908.

"Um cristão que não seja revolucionário neste tempo, não é cristão", afirma o papa Francisco no prefácio da obra.

"O DOCAT estará disponível em mais de 30 línguas e conta também com uma aplicação para telemóvel, que pode ser descarregada pelos peregrinos da JMJ, que transmite a Doutrina Social da Igreja de uma forma divertida", disse à Lusa fonte da Paulus.

O Papa Francisco vai oferecer o DOCAT a todos os peregrinos da JMJ, "um gesto que é o ponto de partida para a campanha juvenil à escala global 'Faz parte do sonho do papa'".

"O sonho do papa é que esta mudança aconteça pelas mãos dos jovens", adiantou a mesma fonte.

Segundo a Paulus Editora, "são especialmente os jovens que se devem sentir interpelados para lerem os grandes documentos da Igreja Católica no seu texto original e orientarem a sua ação segundo as máximas da verdade, da justiça e do amor".

No prefácio, Francisco, à frente dos destinos da Igreja Católica desde março de 2013, afirma: "Espero que um milhão de jovens, mais ainda, que uma geração inteira seja, para os seus contemporâneos, uma doutrina social em movimento. O mundo só mudará quando homens com Jesus se entregarem por ele, com Ele forem para as periferias e para o meio da miséria".

"Este é um desafio do papa a todos os jovens a irem para a política e a lutar pela justiça e pela dignidade humana, sobretudo dos mais pobres", segundo fonte da editora católica portuguesa.

Em declarações à Lusa, antecipando a JMJ, o diretor do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil da Igreja Católica portuguesa, Eduardo Novo afirmou: "Se me permitisse, desafiava o Santo Padre a que ele continuamente dissesse aos jovens: 'não te conformes, transforma-te'".

A edição portuguesa do "DOCAT" estará disponível a partir de setembro, adiantou à Lusa fonte da editora católica.

Lusa

  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC

  • Presidente do Uganda quer proibir sexo oral

    Mundo

    O Presidente do Uganda emitiu um aviso público durante um conferência de imprensa anunciando que vai banir a prática de sexo oral no país. Yoweri Museveni justifica o ato, explicando que "a boca serve para comer".

    SIC