sicnot

Perfil

Mundo

Líderes religiosos pedem a Hollande reforço de segurança nos locais de culto

© Benoit Tessier / Reuters

Os representantes de várias religiões em França pediram hoje ao Presidente francês que os locais de culto "recebam mais atenção" das autoridades em questões de segurança, afirmou o reitor da grande mesquita de Paris, Dalil Boubakeur.

"Queremos que os nossos locais de culto (judeus, cristãos, muçulmanos...) recebam mais atenção, uma atenção continuada, já que mesmo o mais humilde dos locais de culto está sujeito a uma agressão", disse, no final de uma reunião na presidência francesa, no dia seguinte ao homicídio de um padre numa pequena igreja no noroeste do país.

O reitor da grande mesquita de Paris manifestou também "em nome dos muçulmanos de França o sofrimento profundo e a perturbação psicológica que sentem perante este sacrilégio blasfemo contrário a todos os ensinamentos da religião muçulmana".

Boubakeur defendeu uma "reforma das instituições" do Islão em França, considerando "ter chegado a hora de os muçulmanos se consciencializarem daquilo que não está na bem nesta visão mundial do Islão e que os muçulmanos de França desenvolvam uma formação mais atenta dos seus religiosos".

Dois extremistas islâmicos, um dos quais francês e conhecido pelos serviços antiterroristas, entraram na terça-feira de manhã na igreja de Saint-Etienne-du-Rouvray, na periferia de Rouen (noroeste), durante a missa e fizeram seis reféns, incluindo o padre, três religiosas e um casal.

O padre Jacques Hamel, de 85 anos, foi degolado. Os atacantes foram abatidos pela polícia, quando saíram para o adro da igreja a gritar "Allah Akbar" (Deus é grande).

Há mais de um ano que a ameaça de um ataque contra um local de culto cristão pairava sobre o país, depois do fracasso de uma tentativa de atentado, em abril de 2015, contra uma igreja católica de Villejuif, nos subúrbios de Paris.

Lusa

  • França tem uma guerra para travar contra o Daesh
    3:09

    Mundo

    Nunca a ameaça terrorista islâmica à Europa foi tão grande. Estas são as palavras de François Hollande, que se deslocou à Normandia, onde dois homens armados invadiram uma igreja e mataram um padre. O Presidente francês admitiu que o Daesh declarou uma guerra e afirma que esta tem de ser vencida através de quaisquer meios. Contudo, lembra que os meios têm de ser dentro da lei, uma vez que é isso que faz uma democracia. Já o ex-presidente francês Nicolas Sarkozy afirma que a alma de França foi atingida e insiste em medidas urgentes. O Papa Francisco reagiu logo após o atentado, condenando radicalmente o "ataque bárbaro".

  • Mulher detida ao tentar atropelar polícias junto ao Capitólio, em Washington

    Mundo

    Agentes da polícia abriram fogo contra uma mulher (e não um homem, ao contrário do que inicialmente se disse) que conduzia um carro perto do Capitólio e tentava atropelá-los, segundo o Departamento da Polícia Metropolitana de Washington. A mulher foi detida mas a polícia garante que não se tratou de um ato terrorista.

  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.