sicnot

Perfil

Mundo

Papa inicia hoje visita a Polónia para encontrar jovens e lembrar holocausto

© David W Cerny / Reuters

O Papa Francisco inicia hoje a visita à Polónia, onde decorrem as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) em Cracóvia, tendo previstos encontros com jovens e um percurso em silêncio pelos campos de Auschwitz e Birkenau.

Francisco, que viaja pela primeira vez para o coração da Europa católica, à qual ainda não tinha prestado atenção por preferir aquelas que denomina de "periferias do mundo", vai transformar esta visita numa homenagem a João Paulo II, que como papa se deslocou nove vezes ao país natal.

O programa da 15.ª viagem do papa tem previstas várias cerimónias e pelo menos dez discursos em italiano. A chegada está marcada para as 16:00 locais (15:00 em Lisboa), no aeroporto João Paulo II, de onde partirá de imediato para o castelo de Wawel, onde se reunirá com as autoridades polacas e corpo diplomático.

A quinta-feira vai ser o dia de homenagem à tradição católica polaca, com uma missa no santuário de Jasna Gora, em Czestochowa, por ocasião dos 1.050 anos do batismo na Polónia.

O dia seguinte - sexta-feira - vai ser marcado pela dor e pelo silêncio, durante a visita de Francisco aos campos nazis de Auschwitz e Birkenau, onde morreram 1,1 milhões de pessoas entre judeus, ciganos, homossexuais e prisioneiros de guerra.

O papa vai encontrar-se com dez sobreviventes do holocausto e com 25 'Justos entre as Nações', não-judeus que puseram a vida em risco para salvar judeus do extermínio nazi durante a Segunda Guerra Mundial.

Em Auschwitz, o papa argentino vai percorrer os lugares que lembram São Maximiliano Kolbe, o sacerdote polaco que morreu no campo depois de se oferecer para tomar o lugar de outra pessoa.

De volta a Cracóvia, em Blonia, Francisco vai assistir à via-sacra, organizada por ocasião das JMJ, e dirigir algumas palavras aos fiéis.

No sábado, Francisco vai celebrar missa no santuário da Divina Misericórdia, dedicado a João Paulo II.

Depois de um almoço com 12 jovens, em representação dos cinco continentes, no arcebispado, o papa celebra uma vigília de oração com os jovens a quem dedicará o seu discurso, no Campus da Misericórdia.

No domingo celebra uma missa para a multidão e, à tarde, encontra-se com os voluntários na arena Tauron antes de regressar a Roma, onde aterra às 20:30 locais (19:30 em Lisboa).

A organização do 31.º encontro mundial dos jovens católicos, uma criação de João Paulo II, espera receber entre um milhão e meio e dois milhões de jovens, mas as inscrições oficiais rondam as 360 mil, incluindo cerca de sete mil portugueses.

Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.