sicnot

Perfil

Mundo

Papa inicia hoje visita a Polónia para encontrar jovens e lembrar holocausto

© David W Cerny / Reuters

O Papa Francisco inicia hoje a visita à Polónia, onde decorrem as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ) em Cracóvia, tendo previstos encontros com jovens e um percurso em silêncio pelos campos de Auschwitz e Birkenau.

Francisco, que viaja pela primeira vez para o coração da Europa católica, à qual ainda não tinha prestado atenção por preferir aquelas que denomina de "periferias do mundo", vai transformar esta visita numa homenagem a João Paulo II, que como papa se deslocou nove vezes ao país natal.

O programa da 15.ª viagem do papa tem previstas várias cerimónias e pelo menos dez discursos em italiano. A chegada está marcada para as 16:00 locais (15:00 em Lisboa), no aeroporto João Paulo II, de onde partirá de imediato para o castelo de Wawel, onde se reunirá com as autoridades polacas e corpo diplomático.

A quinta-feira vai ser o dia de homenagem à tradição católica polaca, com uma missa no santuário de Jasna Gora, em Czestochowa, por ocasião dos 1.050 anos do batismo na Polónia.

O dia seguinte - sexta-feira - vai ser marcado pela dor e pelo silêncio, durante a visita de Francisco aos campos nazis de Auschwitz e Birkenau, onde morreram 1,1 milhões de pessoas entre judeus, ciganos, homossexuais e prisioneiros de guerra.

O papa vai encontrar-se com dez sobreviventes do holocausto e com 25 'Justos entre as Nações', não-judeus que puseram a vida em risco para salvar judeus do extermínio nazi durante a Segunda Guerra Mundial.

Em Auschwitz, o papa argentino vai percorrer os lugares que lembram São Maximiliano Kolbe, o sacerdote polaco que morreu no campo depois de se oferecer para tomar o lugar de outra pessoa.

De volta a Cracóvia, em Blonia, Francisco vai assistir à via-sacra, organizada por ocasião das JMJ, e dirigir algumas palavras aos fiéis.

No sábado, Francisco vai celebrar missa no santuário da Divina Misericórdia, dedicado a João Paulo II.

Depois de um almoço com 12 jovens, em representação dos cinco continentes, no arcebispado, o papa celebra uma vigília de oração com os jovens a quem dedicará o seu discurso, no Campus da Misericórdia.

No domingo celebra uma missa para a multidão e, à tarde, encontra-se com os voluntários na arena Tauron antes de regressar a Roma, onde aterra às 20:30 locais (19:30 em Lisboa).

A organização do 31.º encontro mundial dos jovens católicos, uma criação de João Paulo II, espera receber entre um milhão e meio e dois milhões de jovens, mas as inscrições oficiais rondam as 360 mil, incluindo cerca de sete mil portugueses.

Lusa