sicnot

Perfil

Mundo

Cidadãos chineses poderão filmar polícias em serviço

© Aly Song / Reuters

Os cidadãos chineses podem gravar livremente as ações dos agentes da polícia em serviço, segundo uma nova lei tornada pública esta semana, informou hoje o jornal de Hong Kong South China Morning Post.

"A polícia terá que aceitar o controlo da população e acostumar-se a fazer cumprir a lei em frente às câmaras, se os cidadãos gravarem as suas ações", refere a normativa.

A lei refere, no entanto, que as gravações não devem dificultar o trabalho da polícia e estipula que os agentes devem levar sempre consigo o crachá e mostrá-lo quando for exigido por civis, enquanto os agentes à paisana deverão identificar-se como tal ao dirigirem-se a um cidadão.

As novas normas surgem dois meses após a morte de um ativista, enquanto se encontrava sob custódia da polícia, o que levou a fortes críticas à atuação policial na China.

Lei Yang, de 29 anos, morreu em maio passado, 50 minutos após a polícia lhe ter pedido documentação, quando se encontrava perto de casa, em Pequim.

Inicialmente, a polícia assegurou que Lei tinha morrido de ataque cardíaco, mas a autópsia revelou que este morreu por afogamento, o que levou à detenção de dois dos polícias envolvidos no caso.

Lusa

  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.