sicnot

Perfil

Mundo

Paris e Londres pedem fim do "desastroso" cerco à cidade de Alepo

O chefe da diplomacia francesa Jean-Marc Ayrault e o seu homólogo britânico Boris Johnson apelaram esta quinta-feira ao regime sírio e seus aliados para terminarem o "desastroso" cerco à cidade de Alepo.

"Os ministros apelam solenemente aos aliados do regime sírio para o fim imediato destas operações que violam a trégua acordada em Munique, e a lei internacional", referem numa declaração conjunta após um encontro em Paris.

As consequências do cerco "incluindo o bombardeamento de civis e instalações médicas, já são desastrosas e podem originar mais refugiados", refere a declaração.

Os ministros apelam "à restauração total e imediata" do acordo para o fim das hostilidades e a "progressos destinados a estabelecer uma autoridade transitória com poderes executivos totais".

Os ministros consideraram ainda que o cerco da cidade, onde cerca de 300.000 pessoas estão encurraladas, "torna impossível o recomeço das negociações de paz".

A declaração assinala a convicção dos dois ministros sobre a "capacidade particular da Rússia em persuadir o regime de Assad a terminar com a guerra e regressar à mesa negocial".

Os residentes em Alepo têm-se referido a escassez de alimentos e um aumento incontrolável dos preços nos distritos sob controlo rebele desde o corte pelas forças do regime, no início de julho, da principal rota de abastecimento em direção à cidade.

Os apelos de Paris e Londres surgem no momento em que a Rússia anunciou uma operação de ajuda "em larga escala" destinada aos civis encurralados em Alepo e às forças rebeldes que estão a abandonar a cidade, enquanto o Presidente Assad anunciou uma amnistia para os combatentes que se renderem.

O enviado da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, manifestou esta semana a esperança de um recomeço das conversações de paz para o final de agosto.

Lusa

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.