sicnot

Perfil

Mundo

Presidente francês anuncia criação de guarda nacional

© POOL New / Reuters

O presidente francês anunciou hoje a criação de uma guarda nacional no país para ajudar as forças de segurança na luta antiterrorista, na sequência dos vários ataques ocorridos em França.

"O presidente da República decidiu que a guarda nacional vai ser constituída pelas reservas operacionais existentes", refere-se num comunicado do palácio do Eliseu, emitido no final de um encontro de François Hollande com deputados especializados na questão.

No início de agosto, vão ser apresentadas propostas referentes aos meios a utilizar, antes da execução operacional possivelmente no início do outono.

"As modalidades de formação das forças de proteção no território francês vão ser definidas em concertação com o conjunto dos atores", de acordo com o comunicado.

No início do próximo mês vai realizar-se "um conselho de defesa" sobre esta futura guarda nacional, que deverá precisar os efetivos.

O objetivo é "acelerar a operacionalidade desta força ao serviço da proteção dos franceses", referiu o comunicado do Eliseu.

Até aqui, Hollande tinha abordado a possibilidade de envolver as reservas da guarda, polícia e das forças armadas (exército, força aérea e marinha) no apoio ao trabalho das forças de segurança, sob pressão há 18 meses devido a uma série de atentados.

Assim, 15 mil reservistas deverão estar disponíveis até final de julho contra os atuais 12 mil.

O ministério da Defesa francês vai "mobilizar os 28 mil titulares de um contrato de compromisso para estarem prontos nas próximas semanas". E as forças de segurança vão também poder contar com "10 mil reservas da guarda que deixaram o serviço há menos de dois anos", afirmou recentemente François Hollande.


Lusa

  • França tem uma guerra para travar contra o Daesh
    3:09

    Mundo

    Nunca a ameaça terrorista islâmica à Europa foi tão grande. Estas são as palavras de François Hollande, que se deslocou à Normandia, onde dois homens armados invadiram uma igreja e mataram um padre. O Presidente francês admitiu que o Daesh declarou uma guerra e afirma que esta tem de ser vencida através de quaisquer meios. Contudo, lembra que os meios têm de ser dentro da lei, uma vez que é isso que faz uma democracia. Já o ex-presidente francês Nicolas Sarkozy afirma que a alma de França foi atingida e insiste em medidas urgentes. O Papa Francisco reagiu logo após o atentado, condenando radicalmente o "ataque bárbaro".

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28