sicnot

Perfil

Mundo

Índia quer transformar tigre numa atração turística

(Arquivo)

O Governo indiano quer transformar o tigre numa atração turística do país, que tem cerca de 70% da população mundial desta espécie, espalhada por 49 reservas naturais.

O tigre asiático é muito apreciado em países como a China para o fabrico de medicamentos tradicionais e o seu tráfico ilegal na Ásia constitui uma das maiores ameaças à preservação do felino.

O ministro do Meio Ambiente, Florestas e Mudanças Climáticas, Anil Madhav Dave, recordou em comunicado que existem no país atualmente 2.226 tigres e garantiu que as autoridades continuam a respeitar o acordo internacional assinado em 2010 na Rússia para garantir a duplicação da população mundial destes felinos em 2022.

No comunicado, a propósito da celebração hoje do Dia Internacional do Tigre, o governante alertou que é necessário continuar a dar atenção à situação em que se encontram os tigres, cuja população mundial diminuiu 95% durante o século XX.

No caso da Índia, há 10 anos o tigre de Bengala lutava contra um destino que o condenava à extinção, quando foram referenciados apenas 1.400 animais.

Contudo, o censo de 2010 refletiu um aumento de mais de 20% desta espécie, e quatro anos depois foi mesmo referenciado um aumento de 30,5%.

Além da Índia, onde vivem cerca de 70% da população mundial, outros asiáticos como o Bangladesh, Vietname, Tailândia, Nepal e Camboja também têm referenciadas colónias destes felinos.


Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Ministra admite que a maioria dos incêndios começaram por mão humana
    1:57

    País

    A Ministra da Administração Interna admitiu esta quarta-feira que a maioria dos incêndios deste ano começaram por mão humana, mas Constança Urbano de Sousa entende que é cedo para tirar outras conclusões. Já o vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Adelino Gomes, diz que não há duvidas e fala em terrorismo organizado. 

  • Sismo na região de Lisboa sentido num raio de 150km
    3:19