sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 2.200 pessoas foram detidas por motivos políticos na Venezuela

Dados divulgados pelo Forum Penal Venezuelano revelam que, desde janeiro de 2016, foram detidas 2.211 pessoas na Venezuela por alegados motivos políticos, das quais 12 permanecem em cárceres, elevando para 90 o número total de "presos políticos".

Os dados foram divulgados aos jornalistas por Alfredo Romero, presidente daquela Organização Não Governamental, que esclareceu que existem atualmente 1.866 processos abertos contra cidadãos, que foram presos e que já se encontram em liberdade.

Segundo o Forum Penal Venezuelano (FPV), desde 2014 foram detidas, na Venezuela, 5.881 pessoas por motivos políticos no que diz ser um efeito de "porta giratória" em que uns são presos e depois libertados, e depois outros são presos e libertados.

"Para não chamar a atenção internacional, o Governo (do Presidente Nicolás Maduro) encarcera algumas pessoas, enquanto liberta outras, mas todos são detidos por motivos políticos", frisou.

No seu entender, apesar da recente visita a Caracas do ex-presidente espanhol José Luís Rodríguez Zapatero, para mediar entre o Governo venezuelano e a oposição, "não é possível dizer que a situação dos presos políticos melhorou".

Lusa

  • "Vi o Bas Doost a jorrar sangue para o chão (...) revoltei-me!"
    3:28
  • "Esta semana parecia um filme de terror"
    2:24

    Desporto

    O treinador do Sporting falou pela primeira vez à imprensa desde as agressões de que foi alvo em Alcochete. Jorge Jesus disse que a última semana "parecia um filme de terror" e deixou um agradecimento especial aos adeptos e à "capacidade emocional" dos jogadores.

  • Já se pode pescar sardinha mas há limitações

    País

    A proibição da pesca da sardinha termina hoje, podendo, até 31 de julho, os pescadores capturar 4.855 toneladas, com limites diários, medidas de proteção dos juvenis e monitorização da pescaria, disse à Lusa o Ministério do Mar.

  • Nicolas Maduro vence presidenciais na Venezuela

    Mundo

    O chefe de Estado venezuelano, Nicolas Maduro, foi declarado vencedor das eleições presidenciais de domingo pela autoridade eleitoral, com perto de 70% dos votos, depois de contados quase todos os boletins.

  • "Desfiliei-me do PS mas continuo socialista"
    1:29