sicnot

Perfil

Mundo

Microsoft vai despedir mais de quatro mil trabalhadores

© Mike Segar / Reuters

A Microsoft anunciou hoje que vai despedir mais 2.850 pessoas em todo o mundo, número que se soma aos 1.850 trabalhadores que disse, em maio, que iria despedir e que pertencem à sua unidade de telecomunicações móveis.

O despedimento de cerca de 2.850 trabalhadores que irá realizar em todo o mundo até ao final do próximo exercício fiscal que termina em junho de 2017 é explicado pelo gigante tecnológico em comunicado enviado à Comissão da Bolsa de Valores dos Estados Unidos (em inglês SEC) pela necessidade de uma melhor gestão dos recursos humanos.

"Esta medida vai permitir complementar e reforçar o corte em pessoal da unidade de telecomunicações móveis já anunciado em maio passado", salienta.

"No quarto trimestre do exercício de 2016, a equipa de gestão aprovou planos de reestruturação que se traduzem em cortes de postos de trabalho, principalmente no negócio dos 'smartphones' e na divisão de vendas globais", esclarece ainda.

O número global de empregos que serão suprimidos com os planos de reestruturação da Microsoft é de 4.700 pessoas, cerca de 4,1% do total dos trabalhadores da multinacional no exercício que terminou a 30 de junho deste ano, que era de 114.000 colaboradores.

A multinacional, para fazer face aos planos de reestruturação, comprometeu uma verba de 501 milhões de dólares (594 milhões de euros) no exercício fiscal de 2016, incluindo dinheiro para despesas de indemnização e outros custos de reorganização.

A Microsoft não espera ter de afetar novas verbas aos planos de reestruturação nos próximos anos.


Lusa

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.